"Pai" do jornalismo de TI no Brasil, Ethevaldo Siqueira morre aos 90 anos em SP

Redação Portal IMPRENSA | 17/10/2022 12:12
Pioneiro na cobertura de tecnologia da informação e telecomunicações no Brasil, o jornalista e escritor Ethevaldo Siqueira morreu aos 90 anos, na noite deste domingo (16 out/22). Ele estava internado no hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, tratando uma leucemia. 

Paulista de Monte Alto, Ethevaldo acumulava quase 60 anos de profissão, tendo integrado o time de colaboradores de veículos como Estadão, CBN e Veja. Formado em 1966 na primeira turma de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), Ethevaldo também foi, entre os anos 80 e 90, professor da mesma ECA, em um curso de jornalismo com foco em tecnologia da informação.
Crédito:Reprodução Estadão/AE




Ativo até o fim

O veículo em que ele mais trabalhou foi o Estadão, onde permaneceu por 45 anos, entre 1967 e 2012, e exerceu diversas funções, incluindo repórter, editor, repórter especial e colunista. Nos últimos quatro anos, Ethevaldo voltou a trabalhar para o Grupo Estado produzindo a coluna Mundo Digital para a Rádio Eldorado FM. Ativo até o fim da vida, o jornalista teve sua última coluna, sobre aviões elétricos, veiculada na antevéspera de sua morte.

Dentre os prêmios ganhos ao longo da carreira, destaque para o José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica do CNPQ, em 1985, o Prêmio Telesp de Comunicações, em 1979, o Prêmio Ministério das Comunicações em 1974, além de dois prêmios Esso, um em 1968 e outro em 1978.

Já os livros de Ethevaldo incluem "A Sociedade Inteligente: Sobre a Revolução das Telecomunicações, dos Computadores e dos Robôs"( 1987), "Três Momentos da História das Telecomunicações no Brasil" (1998), "Brasil: 500 anos de Comunicações – A eterna busca da liberdade" (Dezembro Editorial, 2000) e "Como Viveremos" (2004).

Ethevaldo será enterrado em Ribeirão Preto (SP). O jornalista deixa esposa, dois filhos, cinco netos e uma bisneta.

Leia também