Juiz suspende decisão que obrigava Glenn Greenwald a excluir posts contra Moro

Redação Portal Imprensa | 27/07/2022 11:29

O desembargador Hélio Henrique Lopes Fernandes Lima, do Tribunal de Justiça do Paraná, suspendeu a decisão que determinava que o jornalista Glenn Greenwald excluísse postagens contra o ex-juiz Sérgio Moro.


Crédito:Wilson Dias/Agência Brasil
Desembargador suspendeu decisão que mandava jornalista apagar tuíte contra Moro


De acordo com Conjur, o desembargador entendeu que a exclusão dos tuítes que causaram a ação judicial do ex-juiz da Lava Jato contra o jornalista seria um ato irreversível. Além disso, a medida resultaria na perda do objeto de recurso do jornalista.


Na postagem, Greenwald chamou o ex-juiz e agora político de corrupto. O texto também lembrava que Moro ordenou a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ocupar o cargo de ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro na sequência.



Para o magistrado, a postagem de Glenn Greenwald está dentro dos limites da liberdade de expressão na internet. Ele ainda ressaltou o julgamento do Supremo Tribunal Federal que determinou a suspeição do ex-juiz sobre Lula.


A suspensão é válida até que o recurso seja analisado pelo colegiado da 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná.


Leia também

- No "Roda Viva", Fátima Bernardes defende a imprensa: "Atividade muito necessária"
- Família de jornalista morta em operação israelense pede aos EUA que investigue o caso