Partido Conservador britânico passa a cobrar ingresso de jornalistas que vão cobrir seu congresso anual

Redação Portal IMPRENSA | 11/07/2022 18:31
Grupos de jornalistas e organizações de defesa da liberdade de imprensa do Reino Unido criticaram o Partido Conservador britânico por começara a cobrar uma taxa de jornalistas e meios de comunicação pela participação no congresso do partido que será realizado em outubro próximo.

Até 31 de julho os jornalistas pagarão 125 libras por uma entrada no evento. Entre 1 de agosto e 25 de setembro, o valor passará para 800 libras. A partir de 26 de setembro a taxa pula para nada menos do que 1250 libras.

O Sindicato Nacional de Jornalistas, a Associação de Imprensa Estrangeira e a organização Democracia Aberta estão entre as 14 entidades britânicas que reclamaram em nota da cobrança, considerando-a “um imposto sobre a democracia”.
Crédito:Ukrainian Presidential Press Service/Reuters
Boris Johnson terá substituto escolhido nas próximas semanas
“Um princípio fundamental de uma sociedade livre e democrática é o princípio de um governo aberto, e acreditamos que a melhor forma de o servir é permitir que os jornalistas noticiem livremente os assuntos de interesse público para estimular o debate político”, diz o texto.

Impacto negativo

O partido alega que a organização do evento tem custos. Em contrapartida, as entidades frisam que os veículos e jornalistas já precisam arcar com despesas de deslocação e que a taxa pode “ter um impacto particularmente negativo em jornalistas independentes, veículos menores, jornalistas locais e correspondentes estrangeiros”.

A conferência do Partido Conservador será realizada este ano em Birmingham, de 2 a 5 de outubro. Esta edição do evento terá importância extra, já que vai acolher pela primeira vez o sucessor de Boris Johnson, que será escolhido nas próximas semanas.

Já o Partido Trabalhista anunciou que iria cobrar uma taxa de cinco libras (seis euros) para ingresso de jornalistas e veículos de imprensa em sua convenção anual. Porém, após protestos de organizações de imprensa, converteu a cobrança em contribuição voluntária.

Outros partidos do Reino Unido, como os Liberais Democratas e o Partido Nacional Escocês (SNP), não cobram nada.