Reunião de pauta com Mara Luquet, Cecilia Tornaghi, Claudia Safatle e Michael França é destaque dos “200 Novos Gritos”

Redação | 21/06/2022 08:07

Já tivemos portos abertos e protecionismo extremo; hiperinflação, deflação, estagflação e mesmo a ordinária inflação; políticas estatizantes e privatizantes; trocamos de moedas ou cortamos zeros, em média, a cada 16 anos desde a independência; fomos superavitários e super deficitários já tivemos milagres econômicos e décadas perdidas... a economia brasileira sempre viveu com altos e baixos num modelo que, independentemente de quem está no poder, mescla o privado com o estatal. 


Como ter uma economia sólida e viável? Qual modelo de crescimento o Brasil deve adotar? Como crescer incluindo todos e não apenas poucos? 


As respostas serão debatidas nesta quarta, dia 22, ás 17h, na sessão ‘Economia – dá cá, toma lá?’ dos 200 Novos Gritos – Festival de Ideias – que será moderada pela jornalista especializada em Finanças e Economia, Mara Luquet, contando também com a participação de Cecilia Tornaghi, editora do Americas Quarterly (NYC), Claudia Safatle, colunista do jornal Valor Econômico e Michael França, do Instituto de Pesquisas Econômicas da USP e colunista da Folha de S. Paulo.


Crédito:Reprodução



A união fragmentada?


Em busca de soluções para que tenhamos uma sociedade melhor, mais tolerante e com oportunidades para todos, na sequência haverá a sessão ‘Inclusão e Diversidade – a união fragmentada?’, contando com Olga Curado, ex-jornalista e editora na Rede Globo e especialista em comunicação corporativa, Alice Pataxó, comunicadora e ativista indígena da Bahia e jornalista do Projeto Colabora e Tom Mendes, diretor do ID_BR, Instituto Identidades do Brasil.


Por muito tempo vendemos para o mundo o conceito de um Brasil à vontade com sua diversidade, mesmo sabendo que não era verdade. O Brasil independente nasceu com um modelo escravocrata que, depois da abolição, praticamente só mudou de nome e de lugar – com as periferias e favelas substituindo as senzalas.


E, em mais uma das contradições brasileiras, apesar de leis progressistas – o Brasil independente nunca criminalizou relações entre o mesmo sexo -, homofobia foi e continua sendo um grande problema nacional. É possível termos uma sociedade em que todos – não importa quem sejam, o que prefiram, o que queiram e onde estejam – possam conviver e desfrutar dos mesmos direitos e oportunidades no Brasil?


Participações Especiais


Do Brasil no Mundo, sociedade, politica e desenvolvimento sustentável, foram temas dos “200 Novos Gritos”, que percorreram o vasto território e o espaço de tempo dos 200 anos, para discutir as conquistas do passado, os desafios atuais e as soluções para o futuro do Brasil 


Entre os especialistas e jornalistas que já participaram nas primeiras reuniões de pauta estão: Bruno Paes Manso (Núcleo de Estudos da Violência da USP), Carlos Alexandre de Souza (Correio Braziliense) Jéssica Moreira (Nós, Mulheres da Periferia), Lourival Sant’Anna (CNN Brasil e Earth News Terra), Lucas Mendes (Manhattan Connection), Maristela Crispim (EcoNordeste), Mônica Bergamo (Folha de SP), Moises Rabinovici (Band), Paulo Cabral (TVCGTN América), Renata Cafardo (Estadão), Ricardo Abramovay (USP), Ricardo Voltolini (NET Zero/Draft) e Veronica Goyzueta (Rainforest Journalism Fund).


Serviço: 

“200 Novos Gritos - um festival de ideias para o futuro do Brasil”

Dia 12 de junho, quarta-feira, às 17h

Live 6 – Economia- dá cá, toma lá?


Dia 12 de junho, quarta-feira, às 17h

Live 7 – Inclusão e Diversidade – a união fragmentada?


Temas anteriores disponíveis "on demand": https://portalimprensa.com.br/historiadofuturo

Acompanhe as próximas lives dos dias 29 e 30 de junho