Veículos de imprensa locais vão ajudar TRE-PE a checar informações sobre eleições

Redação Portal IMPRENSA | 10/06/2022 10:59
Com a aproximação das eleições de outubro e a tendência de recrudescimento da estratégia bolsonarista de questionar a legitimidade das urnas eletrônicas e do processo democrático, novas e bem-vindas iniciativas surgem pelo Brasil com o intuito de conter a circulação de conteúdo desinformativo nas redes sociais e apps de trocas de mensagens. 

Nesta quinta-feira (9), por exemplo, o Tribunal Regional de Pernambuco (TRE-PE) anunciou o lançamento da Frente de Combate à Desinformação de Pernambuco. Trata-se de uma parceria com veículos de imprensa do estado, dentre eles o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC), para a divulgação de conteúdos verificados e o combate às fake news nas eleições de outubro.

Lançada durante solenidade realizada na sede do TRE-PE, no Recife, a Frente fará a checagem de conteúdos e será articulada pela assessoria de comunicação do órgão. Segundo o presidente do TRE-PE, desembargador André Guimarães, a iniciativa destaca o papel da imprensa na construção da democracia e na missão de levar informações corretas e precisas sobre o sistema eleitoral.
Crédito:Day Santos/JC
Desembargador André Guimarães: imprensa tem papel na construção da democracia


"Essas desinformações tomaram um rumo maior do que nas outras eleições. É uma preocupação da Justiça Eleitoral e de todos nós, principalmente da imprensa, porque nós não vamos permitir que as notícias falsas possam de algum modo macular o nosso processo eleitoral. Todos nós queremos que prevaleça a verdade e o processo eleitoral limpo. Com paz e tolerância."

O evento também contou com a presença do secretário de tecnologia da informação do TRE-PE, George Maciel, que falou sobre a segurança da urna eletrônica. "Temos 26 anos de eleições eletrônicas no país. É um processo reconhecido internacionalmente. Não há nesses 26 anos nenhuma ocorrência de fraude."

Também nesta semana, representantes do TSE e do aplicativo de mensagens Telegram se reuniram em Brasília para discutir ações de combate às fake news nas eleições deste ano, poucos dias após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmar que a Corte vai cassar os mandatos de candidatos que propagarem fake news.

Tais ações seguem diretriz anunciada em fevereiro deste ano pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ao fechar parceria com diversas empresas de internet para tentar conter a disseminação de fake news nas eleições.

Leia também