Caso dos desaparecimentos no AM não está na lista de prioridades do governo federal

Redação Portal IMPRENSA | 08/06/2022 17:11
Após pedido da Defensoria Pública da União (DPU) e da União das Organizações Indígenas do Vale do Javari (Univaja), movido pelo Ministério Público Federal, a Justiça determinou que o governo federal use helicópteros, embarcações e equipes de buscas da Polícia Federal, das Forças de Segurança ou das Forças Armadas (Comando Militar da Amazônia) nas buscas pelo indigenista Bruno Pereira e pelo jornalista inglês Dom Phillips. 

A decisão foi tomada nesta quarta-feira (8), pela juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, da 1ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Amazonas. Segundo a Unijava e a DPU, helicópteros não estavam sendo empregados nas buscas. 
Crédito: Reprodução

Outro indício da falta de empenho do governo federal pode ser observado nesta terça-feira (7), quando o presidente Jair Bolsonaro, provavelmente sem consciência da dimensão internacional do caso, insinuou de maneira desastrosa para a imagem do país que o jornalista e o indigenista seriam responsáveis pelo próprio desaparecimento, pois fizeram uma "aventura" "não recomendável". 

Em 2019, jornalista "levou esporro" de Bolsonaro

Já nesta quarta-feira (8), a imprensa revelou um vídeo de 2019 mostrando o jornalista Dom Phillips fazendo uma pergunta sobre desmatamento na Amazônia ao próprio Bolsonaro. O vídeo viralizou nas redes de apoio do presidente, pois mostra Bolsonaro respondendo o colaborador do Guardian de forma agressiva.

“Primeiro você tem que entender que a Amazônia é do Brasil, não é de vocês. A primeira resposta é essa daí, tá certo?" 

À Folha de S. Paulo, Andrew Fishman, jornalista inglês que também atua no Brasil, revelou que a viralização do vídeo abalou Phillips à época, pois tornou-o conhecido em "toda a Amazônia" como o "jornalista que levou um esporro do Bolsonaro". 

Bruno Pereira e Dom Phillips foram vistos pela última vez no dia 5 de junho, quando voltavam de uma expedição jornalística em uma região tensa do estado do Amazonas, próxima a área de fronteira. Eles desapareceram ao fazer o trajeto entre a comunidade Ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte, na região do Vale do Javari. Phillips estava apurando informações para uma livro sobre a Amazônia.