Consórcio de imprensa realiza campanha em defesa da integridade dos jornalistas

Redação Portal IMPRENSA | 07/06/2022 11:24
Em comemoração ao Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, celebrado nesta terça-feira (7), o consórcio de veículos de imprensa anunciou uma campanha concebida para salientar a importância do acesso à informação de qualidade e da defesa da integridade dos jornalistas brasileiros.

Formado em junho de 2020 como resposta ao esforço do governo federal para minar a transparência das informações sobre a pandemia no país, o consórcio de veículos de imprensa totaliza diariamente e divulga os números de casos e mortes de covid no Brasil. O consórcio reúne os veículos g1, TV Globo, GloboNews, O Globo, Extra, Valor Econômico, CBN, Estadão, Rádio Eldorado, Folha de S.Paulo e UOL.

Tarja preta

Como parte da campanha, todos os jornais impressos e sites do consórcio trazem nesta terça-feira um anúncio de página inteira e uma tarja preta no alto de suas capas, com a chamada “Dia Nacional da Liberdade de Imprensa. Uma campanha em defesa do jornalismo profissional”.

Na GloboNews, a data é marcada pela frase "Dia Nacional da Liberdade de imprensa" no alto da tela. Ao longo do dia, apresentadores reforçam a importância da imprensa profissional. A campanha inclui ainda spots nas rádios participantes e ativações nas redes sociais de todos os veículos que integram o consórcio de imprensa.

A campanha do consórcio de imprensa lembra ainda que o Brasil está na 110a posição do ranking mundial liberdade de imprensa da Repórteres sem Fronteiras, que avalia 180 países, e que, somente em 2021, houve 145 casos de violência não letal contra jornalistas no Brasil (quase 3 casos por semana), segundo relatório da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert).
Crédito:Reprodução
Capas dos jornais impressos que integram o consórcio de imprensa trazem tarja preta em defesa dos jornalistas
"Ao todo, 230 profissionais de imprensa e veículos de comunicação foram alvo de violência no ano passado – uma alta de 21,69% em relação a 2020", informa o texto da campanha, acrescentando que o número de atentados contra jornalistas dobrou no país em 2021. 

História

O Dia Nacional da Liberdade de Imprensa é celebrado em alusão a um manifesto de 1977 que exigia o fim da censura à imprensa e à restrição da liberdade de informação no Brasil. Assinado por quase 3 mil jornalistas e publicado pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI), o documento denunciou o recrudescimento da censura que veio a reboque do AI-5, o ato institucional que abriu caminho para a fase mais dura da ditadura brasileira.