'Conhecer Lia de Itamaracá é se reconectar com a história cultural do país', diz curadora da Ocupação Itaú Cultural

Redação Portal IMPRENSa | 29/04/2022 09:08
Uma mulher à frente do seu tempo que influenciou gerações. Cantora de cirandas desde 1960, Lia de Itamaracá quebrou padrões da tradição do gênero, e mudou a forma de apresentar a arte para todo Brasil. Por toda essa trajetória e herança significativa para a música popular brasileira, é ela a homenageada na 55ª edição da Ocupação Itaú Cultural. 

"Lia de Itamaracá é uma das maiores referências da ciranda brasileira, da música, das artes. Nesse sentido, ela sempre esteve presente nos debates da curadoria para ser celebrada no programa Ocupação", conta a gerente de Comunicação do Itaú Cultural e integrante da equipe de curadoria, Ana de Fátima Souza. 
Crédito:Divulgação
Lia de Itamaracá é a homenageada da 55ª edição da Ocupação Itaú Cultural
Lia de Itamaracá é a homenageada da 55ª edição da Ocupação Itaú Cultural
"É fundamental para o Itaú Cultural e para o país homenagear Lia. O programa busca justamente fortalecer ações de fruição artística ou do pensamento intelectual, bem como trabalhar a questão da memória e da valorização do legado desses artistas e pensadores. Lia de Itamaracá é um legado poderoso como artista, como mulher negra e liderança em sua ilha. Conhecer Lia e seu trabalho é conhecer e se  reconectar com a história cultural do país." 

A mostra, que começou no último dia 20 de abril e vai até 11 de julho, conta a história de Lia, suas origens e sua trajetória até os palcos. O espaço abriga fotos, conteúdos audiovisuais telas e detalhes da decoração da casa da cirandeira na Ilha de Itamaracá, em Pernambuco. Entre os objetos expostos, está o certificado de descendente de Lia do Povo Djoula, da Guiné-Bissau. 

Usamos expressões poéticas para falar de Lia na exposição formada por três eixos chamados sal, som e sol, porque é o que ela é", conta Michelle de Assumpção, biógrafa de Lia e curadora da mostra. 

"O que mais impressiona nela é sua determinação e coragem. Desde pequena, cantava tudo o que ouvia chegar em Itamaracá, onde nasceu e sempre viveu. Queria ser cantora famosa”, continua ela. "Por fim, chegou na ciranda como intérprete, quebrou os padrões da tradição da improvisação, e assim seguiu a trajetória dela", conclui.  

Além da exposição, foi criado também um hotsite com conteúdo exclusivo sobre Lia, uma temporada de shows em homenagem à cantora estão previstos.

"O visitante que chegar ao espaço vai ver vídeos, imagens, figurinos e documentos  que contam de toda a potência artística e cultural de Lia de Itamaracá. Vai ver que  sua história é repleta de multiplicidades de talentos, as incríveis parcerias que Lia foi construindo em diferentes áreas artísticas", explica Ana de Fátima. 

A Ocupação Lia de Itamaracá é acessível em libras, possui ferramentas de audiodescrição, e está disponível para visitação de terça a sábado das 11h às 20h; domingos e feriados das 11h às 19h no Itaú Cultural - Av. Paulista, 149, térreo. A entrada é gratuita. 

Para conferir a programação de espetáculos, clique aqui. A apresentação do comprovante de vacinação fisico ou digital e o uso de máscaras são obrigatórios. 

Leia também: