Governo do México anuncia novo fundo de seguridade social para jornalistas

Redação Portal IMPRENSA | 11/04/2022 09:26
Crítico ferrenho da atuação dos jornalistas do país, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, anunciou na última semana a criação de um fundo para apoiar jornalistas sem seguridade social. 

A iniciativa será custeada com 25% do orçamento de publicidade oficial do país, cerca de 37,3 milhões de dólares anuais, segundo informações da AFP. 
Crédito:Reprodução/Governo do México
O presidente do México,  Andrés Manuel López Obrador
O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador
"Vamos financiar um programa de seguridade social, vinculado ao Instituto Mexicano de Seguro Social, que vai incluir pensões e atendimento médico para o jornalista e sua família", disse López Obrador em coletiva.

Os jornalistas que trabalham de forma independente, sem contrato, serão os principais beneficiados do programa. 

"É lamentável que muitos dos que se dedicam ao jornalismo terminem sem nada, sem atendimento médico (...) A maioria vive o dia", completou. 

Recentemente, o presidente fez ataques aos maiores jornais do país e a jornalistas de expressão, colocando em dúvida suas denúncias e reportagens, acusando-os de serem financiados por adversários - ele, inclusive, chegou a pedir para que alguns profissionais explicassem a origem dos seus recursos. 

Os alvos costumam ser os repórteres que investigam casos de corrupção que envolveriam funcionários do governo e até mesmo familiares do presidente.  

Segundo a ONG Artículo 19, desde o início do governo de López Obrador, 30 jornalistas foram assassinados no México, o número é o dobro do que o registrado nos três primeiros anos do presidente anterior. 

Em 2021, o Repórteres Sem Fronteiras registrou oito homicídios, ainda que a relação das mortes com o exercício profissional não tenha sido comprovada. Desde os anos 2000, foram 150 pessoas mortas e 92% dos casos continua impune. 

Nas contas do governo, oito jornalistas foram mortos. 

Europa repreende conduta 

Em 10 de março, o Parlamento Europeu votou uma resolução que pede ao governo que garanta um entorno seguro para o exercício jornalistico, motivada pelos crescentes ataques e o discurso do presidente contra profissionais, chamado de "retórica populista". 

López Obrador criticou a iniciativa, e "garantiu" aos mexicanos que a resolução teria sido promovia por um setor de extrema-direita da Espanha. 

Leia também: