Depois de ganhar a internet, booktokers e booktubers chegam à Bienal

Denise Bonfim | 07/12/2021 10:09
A leitura de longas resenhas de livros em blogs ficou em um passado recente. No mundo de 2021, os booktubers e booktokers - como são chamados os produtores de conteúdo da área da literatura no Youtube e no TikTokok - já dominam o circuito, ditando tendências sobre o que será destaque nas estantes das livrarias. O sucesso foi tanto que o tema foi parar na Bienal do Rio. 

Na quinta-feira (9), às 17h, o evento debaterá as 'Estantes virtuais: indicações dos booktokers e booktubers nas listas de sucesso'. Tiago Valente, que compõe a mesa e soma  mais de 333 mil seguidores no TikTok, contou um pouco desse universo em entrevista exclusiva ao Portal IMPRENSA.

"[Estar na Bienal] é o maior retorno que eu poderia ter do trabalho que venho fazendo há tanto tempo. Os booktubers já estão produzindo conteúdo há mais tempo, mas nós, que estamos falando de literatura no TikTok, é uma coisa recente. Ter esse retorno em um período tão curto de tempo é surreal", conta. 
Crédito:Arquivo Pessoal
Tiago Valente é um dos palestrantes na Bienal do Rio
Tiago Valente é um dos palestrantes na Bienal do Rio
Tiago começou a criar conteúdo para a rede social logo quando ela foi criada, em 2018, quando os nichos do aplicativo ainda não eram muito bem conhecidos. Entre as dancinhas, os vídeos de comédia e os vlogs, em 2020, ele decidiu investir totalmente na literatura. A opção exigiu adaptação e esforço. 

"Meu maior desafio era esse formato do TikTok, vídeos curtos. É todo um formato, toda uma linguagem. Vídeos com muitos cortes, muito acelerados. Muita informação em pouco tempo. Hoje temos três minutos, mas por muito tempo tínhamos só um minuto, e esses vídeos não performavam muito bem, então usávamos só metade disso", lembra. 

"Percebi que tinha que escolher: ou contava minha opinião ou minha experiência. É engraçado, uma contradição nesse sentido, a gente está produzindo um conteúdo sobre literatura, com pouquíssimo tempo para dar muita informação, mas quer falar muito sobre o que estamos lendo, mostrar os livros que estamos comprando", relata.

Segundo Tiago, o público do TikTok é muito engajado e preocupado com a temática dos livros e assuntos que estão sendo retratados - muito por conta da idade -, e já trazem debates profundos sobre questões complexas, como gênero, preconceitos, questões sociais, direitos da mulher, o que faz com que os booktokers tenham também a responsabilidade de classificar o conteúdo avisar sobre possíveis gatilhos. 

Como era de se esperar, o criadores de conteúdo nas redes sociais acabam ditando tendências. Ao lado de Tiago, na Bienal, estará Casey Mcquiston, autora do livro "Vermelho, branco e sangue azul", um dos maiores sucessos da literários da atualidade que caminhou ao lado da rede de influenciadores. 

"Quando eu era apenas leitor, eu me guiava 100% pelas indicações. E como criador de conteúdo, vejo que assim como acontece com as músicas, com as coreografias, acontece com os livros também. Começamos a falar sobre um livro, e cada vez aparece mais gente falando, e vão ganhando popularidade maior no TikTok - e não só lançamentos", diz. 

"Um exemplo é 'Mentirosos' (E.Lockhart - Editora Seguinte). Eu já tinha lido há sete, oito anos, e por conta do TikTok, ele se tornou um dos livros mais vendidos do país. Isso foi surreal. As pessoas querem postar vídeos chorando lendo o livro!", conta. 

"O caso de 'Vermelho, branco e sangue azul', também. Eu sou muito fã dela [Casey Mcquiston], e era isso: não tinha campanha de divulgação, de marketing. Comecei a receber mensagens de pessoas falando que estavam indo nas livrarias e levando o vídeo que eu fiz para comprar o livro, e estava esgotando! É até meio assustador ver o poder que temos, uma influência de verdade, que se concretiza", relata. 

Segundo Tiago, grandes livrarias já separam os títulos de acordo com as indicações dos booktubers e booktokeres. "Influenciamos não sobre um produto, mas sobre a leitura. Aumentamos a empatia, a visão de mundo das pessoas. Fico feliz em poder ter esse papel". 

Na Bienal, ele acredita que vai falar para dois públicos: os que já conhecem o trabalho nas redes sociais, e quem ainda não teve contato com o seu trabalho. 

"Estou bem animado para ver as reações de quem vai para nos assistir, e também de quem ainda não conhece o trabalho que fazemos. Vai ser uma oportunidade ótima de mostrar a relevância do trabalho que fazemos".

"A Bienal tem também esse papel de apresentar pessoas do mercado para o próprio mercado. Estou muito animado."

Além de Tiago Valente e de Casey Mcquiston, a mesa 'Estantes Virtuais' terá a autora Frini Georgakopoulos como mediadora, e os também influenciadores Wlange Keindé (ficçomos) e Nanna Sanches (livraneios) falando sobre os processos de escolhas de livros, criação de conteúdo e de formatos para as redes sociais. 

Serviço: 
Bienal do Rio
'Estantes virtuais: indicações dos booktokers e booktubers nas listas de sucesso'
Quinta-feira - 9 de dezembro - 17h
Ingressos disponíveis no site https://bienaldolivro.com.br/ingressos
Como o evento é organizado em formato híbrido, é possível se cadastrar para acompanhar toda a programação ao vivo pela web.

Leia também: