Jornalistas lamentam fim do Agora, impresso popular que marcou época em SP

Redação Portal IMPRENSA | 25/11/2021 15:35
Feito pelo Grupo Folha nesta quarta, 24 de novembro, o anúncio de que o jornal Agora São Paulo deixará de circular a partir da próxima segunda, 29 de novembro, levou muitos jornalistas a lamentarem a notícia nas redes sociais.

Com linha editorial popular e foco em assuntos relacionados a economia, INSS e previdência, o Agora começou a circular em 22 de março de 1999, substituindo a Folha da Tarde. Também priorizava em suas páginas notícias da cidade de São Paulo, de segurança pública e esportes.

Segundo o Grupo Folha, a decisão de encerrar o jornal foi tomada por ‘critérios econômicos baseados em dados de circulação e publicidade’. A empresa indicou que os assinantes poderão assinar a Folha de São Paulo por um ano pelo mesmo valor que pagavam pelo Agora, com 20% de desconto após esse período. 
Crédito: Reprodução Metrópoles
O jornalista esportivo Luis Augusto Símon, mais conhecido como Menon, lembrou de colegas já falecidos com os quais trabalhou no Agora, como Adriano Pessini, que foi editor de esportes, e Rogério Felipini Rezek, mais conhecido como Azeita. 

O autor do Blog do Menon também lembrou a rivalidade que o impresso popular do Grupo Folha mantinha com o também descontinuado Diário Popular.

"O Agora cresceu muito quando o Diário Popular deixou de ser... popular e passou a se chamar Diário de S.Paulo. (...) O que doi bastante é o fechamento de postos de trabalho. Enfim, sigamos. De um jeito ou de outro, a informação continuará existindo. Com pombo correio, tambor, sinal de fumaça, rádio, jornal, tv, web, seja como, resistiremos."

Vitão reclamou que não foi avisado 

O jornalista esportivo Vitor Guedes, que manteve por muito tempo uma coluna sobre futebol no veículo, reclamou de não ter sido avisado do encerramento das atividades do Agora. "Vai fechar. Fiquei sabendo por aí, mas ninguém me falou nada...nenhuma ligação...E trabalho na casa desde 2001", protestou no Twitter.

Por sua vez, a jornalista Regiane voz Atizengen, que trabalhou no Agora por 6 anos, lamentou o fim do jornal em um texto postado com uma foto antiga da redação do veículo em um grupo no Facebook formado por ex-funcionários e colaboradores. 

“Esta foi minha segunda casa por longos seis anos. Hoje recebemos a triste notícia de que no próximo domingo (28) será seu último dia de circulação. Um dos maiores jornais populares do país vai fechar suas portas. Triste demais pelos colegas e pelo fim de mais um veículo de comunicação."