Anunciantes querem que plataformas digitais coíbam desinformação climática

Redação Portal IMPRENSA | 09/11/2021 15:40
Mais de 150 marcas, organizações da indústria de publicidade e do setor climático divulgaram nesta terça-feira, 9 de novembro, uma carta aberta pedindo aos CEOs do Facebook, Instagram, Google, Twitter, TikTok, Pinterest e Reddit que combatam a desinformação climática em suas plataformas.

Coordenado pela Conscious Advertising Network, o grupo pede que as redes sociais tratem o assunto com o mesmo rigor com que foi combatida a pandemia de desinformação relacionada à covid-19.

Marcas importantes, como British Gas, Virgin e Ben & Jerry’s, estão entre as signatárias da carta aberta.
Crédito:Reprodução Press Gazette

O texto pede que as plataformas coloquem em prática planos para combater a desinformação climática, com destaque para processos de verificação de fatos independentes e transparentes, tolerância zero a fake news e adoção de algoritmos que agilizem a exclusão de declarações enganosas sobre ciência climática .

A carta também pede que as plataformas deixem de publicar anúncios contendo desinformação climática.

A indústria de publicidade sugeriu ainda que as plataformas divulguem o conceito de desinformação climática, lembrando que ele é usado para denominar conteúdo enganoso que prejudica o reconhecimento da existência e dos impactos das mudanças climáticas, além de negar a influência humana sobre esse processo e a necessidade de ação urgente para evitar uma catástrofe no futuro.

A carta lembra ainda que desinformação climática pode deturpar dados científicos para minar a confiança na ciência do clima e nos especialistas.

A carta aberta também será enviada a representantes de todos os países que participaram da COP26 em Glasgow.

Jacob Dubbins, cofundador da Conscious Advertising Network, alertou que a maioria das plataformas online não tem políticas de desinformação climática.

“Claramente precisamos desse tipo de política para combater a desinformação climática. Não podemos permitir que esse tipo de conteúdo enganoso nos coloque em risco. Nosso planeta e nossas vidas estão em jogo.”

A carta elogia o Google pela política anunciada recentemente de proibir anúncios e monetização de conteúdo que contradizem o consenso científico sobre a existência e as causas das mudanças climáticas.

A empresa alegou que tomou essa decisão após anunciantes demonstrarem preocupação quanto à promoção de conteúdos com informações imprecisas sobre as mudanças climáticas.

Leia também