EBC é condenada em 1ª instância por perseguição e assédio contra jornalista

Redação Portal IMPRENSA | 04/11/2021 17:11
A Justiça do Trabalho condenou em 1ª instância a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) por assédio e perseguição contra o jornalista Gésio Passos, diretor administrativo do Sindicato dos Jornalistas do DF e vice-presidente regional da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) 

A empresa foi condenada a pagar multa e considerar nulo o processo administrativo aberto contra o jornalista em 2017. Naquele ano a EBC abriu uma sindicância contra o jornalista durante uma greve da categoria. Após a medida, Passos foi informado que seria transferido do setor em que atuava. Para a justiça, isso demonstrou a possibilidade de perseguição.
Crédito: Agência Brasil/ Marcello Casal Jr

Os advogados de Passos também alegaram assédio moral e práticas antissindicais dentro da EBC. Para eles, a EBC manipulou a comissão de sindicância com a intenção de perseguir e assediar o profissional de imprensa.

Na decisão, o juiz Rossifran Souza, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, considerou que o “processo de sindicância em questão nasceu totalmente viciado e tendencioso”.

A sentença determinou a nulidade do processo administrativo contra o jornalista e instituiu o pagamento de multa de R$ 5 mil.

Ao portal Metrópoles, Santos afirmou que a decisão é uma vitória. “A empresa tem adotado como prática o assédio moral, a perseguição contra os empregados. Isso não pode acontecer.”

Em nota, a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) também elogiou a decisão judicial, afirmando que “foi comprovado que a EBC manipulou a comissão de sindicância com a intenção de apenas perseguir e assediar o jornalista, não garantindo imparcialidade necessária.