TJSP decide que IstoÉ não cometeu abuso em capa contra Lula de 2017

Redação Portal IMPRENSA | 08/10/2021 17:36
O ex-presidente Lula perdeu uma ação que movia contra os jornalistas Sérgio Pardellas e Germano Oliveira, pela reportagem de capa da revista IstoÉ de 22 de fevereiro de 2017. 

Nesta sexta-feira, 8 de outubro, o Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu que a revista não cometeu abuso ao publicar a matéria “Levei Mala de Dinheiro para Lula”.

O texto trazia uma entrevista com o químico Davincci Lourenço de Almeida sobre sua relação com a cúpula da empreiteira Camargo Corrêa. 

Na entrevista, Davincci disse ter transportado em 2012 uma mala de dólares que seria entregue ao ex-presidente em troca de um contrato na Petrobras.
Crédito:Reprodução Revista Forum

Lula disse que a reportagem era mentirosa e processou a revista, os jornalistas e o próprio Davincci.

“Qualquer jornalista sério e responsável jamais publicaria uma enxurrada de ofensas e inverdades oriundas de uma pessoa com o histórico de Davincci, principalmente sem qualquer elemento de corroboração”, escreveram os advogados do ex-presidente.

Já os advogados dos jornalistas alegaram que foi publicado exatamente o que foi declarado por Davincci e que os fatos tinham “a verossimilhança necessária para a publicação da entrevista.” 

O desembargador James Siano, relator do processo, afirmou na decisão que o texto teve caráter informativo. “A revista se limitou a reproduzir matéria objeto de apuração criminal, com a identificação do denunciante.”

O desembargador também afirmou que a fonte da matéria reproduziu as mesmas informações à autoridade policial. 

A Justiça determinou que Lula pague os honorários dos advogados da revista e de Davincci. O ex-presidente pode recorrer da decisão. Se perder, poderá ter de pagar R$ 150 mil.