Jornalista é intimado após noticiar participação de juíza em ato antidemocrático

Redação Portal IMPRENSA | 28/09/2021 20:34
O jornalista José Adalberto Maschio foi intimado a comparecer ao 5º DP (Distrito Policial) de Londrina após noticiar em seu perfil de uma rede social que a juíza Isabelle Papafanurakis Ferreira Noronha, da 6ª Vara Criminal de Londrina, participou dos atos antidemocráticos no dia 7 de setembro. 

A publicação era acompanhada de uma foto que mostrava a juíza no hall de um hotel usando uma peruca verde e amarela, acompanhada de outras quatro pessoas, uma delas empunhando um cartaz com os dizeres “Supremo é o povo”. Na foto publicada, uma seta foi desenhada sobre a cabeça da juíza para identificá-la.

Isabelle registrou um BO (Boletim de Ocorrência), no dia 13 de setembro, pedindo a retirada do conteúdo da página do jornalista no Facebook e a retratação “em todos os meios de comunicação em que a informação falsa foi indevidamente veiculada”, informou a Folha de Londrina. 
Crédito:reprodução

No BO, a juíza diz que estava no hotel com sua família e amigos vestindo as cores da bandeira nacional, e que estava “exercendo seu direito cívico e liberdade de manifestação de pensamento e expressão, constitucionalmente assegurados no artigo 5º, inciso IV, da Constituição Federal". Ela ressalta que não manifestou palavra ou opinião pedindo o fechamento do STF.

A Corregedoria-Geral do TJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná) abriu sindicância para apurar possíveis irregularidades no comportamento da juíza, após denúncia do grupo Movimento Algo Novo na Advocacia Paranaense. 

Para o advogado do jornalista, João Gomes, a juíza está usando a máquina pública para “perseguir o jornalista que mostra o fato. “Ela diz que estava lá como cidadã e não como juíza. Ora, o juiz nunca deixa de ser cidadão. O cidadão ocasionalmente pode ser juiz, mas o juiz não pode deixar de ser cidadão”, diz.

Leia também