Google e Abraji disponibilizam no Brasil ferramenta para facilitar investigações jornalísticas

Redação Portal IMPRENSA | 06/09/2021 15:07

O Google anunciou nesta segunda-feira, uma ferramenta online que promete facilitar investigações jornalísticas, permitindo pesquisar grande quantidade de arquivos e documentos com uma tecnologia de busca inteligente, capaz de ler manuscritos, transcrever arquivos de áudios e realizar uma varredura por informações digitais.

Batizada de Google Pinpoint, a ferramenta faz parte do Journalist Studio, suíte de aplicações da Google News Initiative (GNI)projetadas para colaborar com o "desenvolvimento de um ecossistema de notícias qualificado".

"A ideia é, principalmente, otimizar a rotina nas redações e o tempo dos profissionais de imprensa, reduzindo o período utilizadona consulta a grandes volumes de conteúdos e, consequentemente, aumentando o espaço para encontrar boas histórias e construir as melhores narrativas", diz nota do Google à imprensa.

Ainda de acordo com o material de divulgação, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) irá publicar mensalmente "duas grandes coletâneas de documentos de interesse público para exame dos usuários por meio da plataforma".

Crédito:Abraji

Fruto de parceria entre a Abraji e a GNI, a novidade foi divulgada durante um dos painéis da 16ª edição do Congresso da Abraji .

"Queremos ao mesmo tempo facilitar o acesso a essas informações e também permitir que as pessoas possam usar todas as grandes funcionalidades do Pinpoint, como pesquisar rapidamente e facilmente em milhares de documentos por entidades como pessoas, empresas/organizações e localizações. Sem dúvida isso poderá ajudar muitos jornalistas brasileiros", diz Reinaldo Chaves, coordenador de projetos na Associação, na semana passada.

O Pinpoint utiliza o chamado aprendizado de máquina para "imprimiras respostas mais interessantes para determinada ação de busca". Após percorrer os materiais, em diversos formatos, a tecnologia faz a triagem automática dos conteúdos e inicia a marcação dinâmica

A tecnologia já foi usada em outros países, em projetos de investigação como o relatório do USA TODAY sobre mortes relacionadas a Covid em lares de idosos e uma série de matérias do Washington Post sobre a crise de opióides nos EUA.

Leia também

Jamil Chade: Exposição dos blogs traz mais responsabilidade ao jornalista

Jornalista Adison Ferreira lança livro sobre realismo mágico na Amazônia