Perfil falso do G1 usa incêndio em estátua para incitar onda de ataques contra jornalista

Redação Portal IMPRENSA | 26/07/2021 19:06
Uma conta ilegítima no Twitter que imita o portal de notícias G1 postou uma peça de desinformação neste domingo, 25, que ocasionou mais uma onda de ataques na internet contra uma jornalista brasileira. Mais uma vez a vítima foi Daniela Lima, da CNN Brasil.

A postagem que estimulou os ataques atribuiu falsamente a Daniela a declaração de que o incêndio provocado na estátua de Borba Gato, no dia anterior, em São Paulo, foi “pacífico” e que os responsáveis “estavam de máscara”. Daniela Lima sequer estava entre as apresentadoras que noticiaram o incêndio.
Crédito:Reprodução Estadao Verifica

Mesmo assim, a postagem falsa foi retuitada por outra conta com 35 mil seguidores, abrindo caminho para mais uma onda de ataques e comentários com incitação de violência contra a jornalista.

Escravidão
O incêndio na estátua do bandeirante Borba Gato, que levou à prisão do motorista do caminhão que transportou os pneus usados no ato criminoso, é um protesto contra monumentos que homenageiam figuras históricas ligadas ao colonialismo e à escravidão. No caso dos bandeirantes, a crítica é que eles atuavam na escravização de indígenas e captura de escravos fugitivos.

Segundo checagem do Estadão Verifica, a conta que aproveitou o episódio para incitar uma onda de ataques contra a jornalista da CNN foi criada em março de 2021 e muitas de suas postagens envolvem ataques a jornalistas mulheres. Outras vítimas, para citar somente dois exemplos, foram a narradora Natália Lara, do SporTV, e Barbara Gancia. 

Possivelmente bancado com dinheiro público, o perfil também acumula postagens pejorativas contra opositores de Jair Bolsonaro, como o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) e a ex-presidente Dilma Rousseff.