Após três anos, Folha volta a publicar conteúdos no Facebook

Redação Portal IMPRENSA | 07/07/2021 11:07
Fora do Facebook desde 2018 por uma decisão editorial, a Folha de S.Paulo anunciou que voltará a publicar seus conteúdos na rede social. Com 5,6 milhões de seguidores, a intenção, segundo o jornal, é "valorizar o jornalismo profissional e restringir a circulação de notícias falsas". 

O Facebook tem tentado combater às fake news derrubando alguns perfis com comportamento considerado atípico, banindo usuários, como o ex-presidente norte-americano Donald Trump. No Brasil, a rede social já bloqueou usuários investigados no inquérito das fake news, que visa combater a disseminação de notícias falsas na internet. 
Crédito:Freepic
facebook celular
Folha vai voltar a publicar suas reportagens no Facebook
Em 2020, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teve um vídeo removido sob a justificativa de violar as regras da comunidade no Instagram e no Facebook. Pouco tempo depois, contas ligadas à família Bolsonaro e o gabinete do presidente foram derrubadas. 

A postura da rede social contribuiu para a decisão. "A empresa tem restringido a circulação de fake news e discurso de ódio, derrubando páginas e fornecendo alertas e informação adicional em postagens que contenham problemas factuais", escreveu a Folha. 

No anúncio, o jornal elencou as iniciativas lideradas pela companhia para incentivar o jornalismo profissional, como a permissão ao paywall e a criação de programas de fomento ao jornalismo profissional - o Facebook "afirma ter investido US$ 600 milhões (R$ 3 bilhões) em mecanismos de apoio à indústria de notícias e diz que planeja alocar US$ 1 bilhão (R$ 5 bilhões) nos próximos três anos". 

Segundo o Relatório de Notícias Digitais de 2020, do Instituto Reuters, o Facebook e o Whatsapp são as maiores ferramentas para difusão de conteúdos falsos no Brasil. Juntos, eles são responsáveis por 59% das fake news que circulam nas redes sociais brasileiras. 

Leia também: