EBC: Escala de cobertura da CPI mudou após episódio de censura, diz jornal

Redação Portal IMPRENSA | 25/06/2021 11:03
A escala dos jornalistas que cobririam a CPI da Covid na Rádio Nacional, administrada pela EBC, mudou com os rumos tomados pelos depoimentos. 

Sob a justificativa de adequar os horários da redação à agenda da Comissão, os repórteres que costumam atuar na política foram substituídos por outros profissionais, que cobrem acontecimentos locais em Brasília. O motivo, no entanto, seria outro. 
Crédito:Marcello Casal/Agência Brasil
Fachada da EBC, em Brasília
Fachada da EBC, em Brasília
Segundo informações do colunista Lauro Jardim, n'O Globo, funcionários da EBC relataram que a troca foi feita após o episódio de censura denunciado pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e pelo Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal no início da semana. 

Na denúncia, os órgãos relatam que o repórter Victor Ribeiro foi ameaçado com um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) e demissão por ter se recusado a gravar um texto modificado sobre o depoimento de Antônio Barra Torres, diretor-presidente da Anvisa, à Comissão. 

"O presidente da Anvisa disse que não fez tratamento precoce contra covid e que se arrependeu de participar de atos públicos com aglomerações. Ele criticou o uso de remédios ineficazes e o negacionismo científico", dizia a narração original. 

A ideia era de que os alertas que estivessem em desacordo com a política do presidente Bolsonaro fossem omitidos. Ribeiro não assinou. 

Procurada para dar esclarecimentos sobre o caso, a EBC não respondeu aos contatos da reportagem. 

Leia também: