Tabloide Sun zera valor de mercado após pandemia e escândalo de hackeamento de telefones

Redação Portal IMPRENSA | 11/06/2021 16:44
Esta semana o magnata da mídia Rupert Murdoch assistiu impotente à redução a zero do valor de mercado do carro-chefe de seu conglomerado de jornais e veículos de comunicação, o tabloide britânico The Sun. 

A derrocada financeira resulta de uma perda de quase 200 milhões de libras (cerca de R$ 1,4 bi de reais) em publicidade amargada pelo veículo em decorrência da pandemia e do recente escândalo de hackeamento de telefones de fontes dos jornalistas.

Para analistas de mercado, a medida sinaliza que a News Group Newspapers, subsidiária da News UK responsável pelo The Sun, não acredita que o título retornará a um crescimento positivo.

Crédito:reprodução The Guardian

Mais de 80% dos prejuízos do Sun, cerca de 164 milhões de libras, foram relacionados ao escândalo de hackeamento de telefones que envolveu o título e seus editores e se tornou um dos emblemáticos sobre o limite ético de atuação de profissionais de imprensa. 

Nesta quinta (11), o Sun pagou uma quantia substancial ao ex-parlamentar britânico Simon Hughes, que entrou na Justiça do país após repórteres da publicação terem usado gravações telefônicas ilegais para expor sua homossexualidade.

Face aos problemas decorrentes de ações indenizatórias e da crise sanitária, recentemente o Sun cortou os custos com equipes de vendas e marketing em 40% e o número total de funcionários caiu de 605 para 546. 

Adquirido por Murdoch em 1969, o Sun celebrou seu 50º aniversário há dois anos. Em 2020 o jornal perdeu o título de mais vendido do Reino Unido para o Daily Mail. Ele era o jornal mais popular do país desde 1978.