Jornalistas lançam coletivo para promover debates ao vivo sobre acontecimentos do Brasil e do mundo

Deborah Freire | 14/05/2021 11:13

Vinte experientes profissionais com passagens por TVs, jornais impressos, revistas, rádios se reuniram para lançar nessa quinta-feira (13) o coletivo Jornalistas Online, uma proposta de análise dos acontecimentos atuais por meio de debates ao vivo na internet.

Crédito:Divulgação

A primeira live, com o tema “Covid: uma CPI pode mudar o Brasil”, foi transmitida ao vivo pelo YouTube, com a participação de nomes de peso no jornalismo político, como Renato Faleiros, que revelou muitas informações de bastidores da investigação, e do fotojornalista Orlando Brito, que faz a cobertura fotográfica da CPI, e participou do quadro “Olhar do Brito”, em que explica o que está por trás das imagens registradas.


O programa também teve a participação de Laerte Rimoli, Maria Cristina Poli, Carlos Muanis e Sylvia Jardim, e apresentação de Rodolpho Gamberini. A estreia aconteceu quinta-feira, mas as lives vão ocorrer toda quarta-feira, sempre com um rodízio de participantes, que vão abordar diversos temas, conversar com entrevistados e opinar sobre os fatos.


Na semana que vem, o tema será fome, e o debate terá a apresentação de Luciana Liviero, e participação de Alceu Nader, Márcia Nepomuceno, Luís Ventura e Luciano Martins.


“Os entrevistadores vão mudando, cada um levando sua experiência. E muitos dos jornalistas do coletivo já foram editores, chefes em grandes veículos, pessoas de muita experiência. Temos um pessoal que é muito de texto também, por isso o nosso site canaliza os textos; eles trabalham também como articulistas”, explica a idealizadora do Jornalistas Online, Sylvia Jardim.


O coletivo


A ideia surgiu em meio a uma enxurrada de fortes acontecimentos para a política, a saúde, a economia e outros setores no Brasil e no mundo, e também no contexto de desinfodemia, onde a atuação de jornalistas de peso na divulgação de informações verdadeiras se torna uma necessidade ainda mais urgente.


O coletivo começou a partir de um convite de Sylvia Jardim a colegas de profissão, feito nas redes sociais. Ela que tem 15 anos de experiência em TVs e vivências no jornalismo corporativo, educativo e cultural, encontrou como parceiro para a empreitada o jornalista Ricardo Mucci, também experiente profissional de TV e criador de projetos inovadores de comunicação na internet.


Juntos, os dois conseguiram reunir outros 18 profissionais (conheça todos os nomes), além de pessoas que atuam nos bastidores, todos voluntariamente. Mas a intenção do projeto é buscar sustentabilidade econômica.


“Sou jornalista por formação, mas não estava jornalista, mas como os acontecimentos estão tão elétricos, veio aquele chamado da vocação, vamos dizer assim. Senti uma necessidade muito grande de participar da discussão nesse momento. Fiz um chamado no Facebook para os colegas colaborarem, inclusive para a disseminação de informações verdadeiras, no combate às fake news, e muita gente boa se manifestou”, conta Sylvia.


O site conta com uma ferramenta de acessibilidade para cegos, o Audima, e já tem perfis com divulgações diárias nas redes sociais.


Leia também:


Revista Época deixará de circular e seu conteúdo será publicado no jornal O Globo


Censuras modernas e liberdade de imprensa: qual o papel do jornalismo na defesa da democracia