Estádio de futebol é interditado após agressão a repórter do Globoesporte.com

Redação Portal IMPRENSA | 07/05/2021 18:19
Ocorrida na quarta (5), após partida do campeonato piauiense de futebol, a agressão feita por João Paulo dos Anjos Abreu contra a jornalista Emanuelle Madeira, do Globoesporte.com, segue repercutindo.

A Federação de Futebol do Piauí (FFP) anunciou que o agressor foi proibido permanentemente de participar e assistir presencialmente às partidas organizadas pela entidade ou pela CBF. 

Abreu atacou a repórter enquanto ela gravava uma briga entre as equipes do Altos e do Fluminense-PI. A jornalista teve seu celular tomado por Abreu, que estava uniformizado com o uniforme do Altos. Quando tentava reaver o celular, a jornalista foi afastada pelo agressor de modo agressivo. 
Crédito:reprodução Lance!

O agressor só devolveu o aparelho quando percebeu que estava sendo gravado por um cinegrafista que é colega da repórter no Globoesporte.com. Emanuelle registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil.

Nesta sexta (7), o Tribunal de Justiça Desportiva do Piauí (TJD-PI) determinou a interdição do estádio Felipão, também conhecido como arena Jacaré, que foi palco da briga e da agressão à jornalista.

A confusão de quarta foi causada por uma discussão entre Wallace Lemos, técnico do Flu-PI, e o presidente do Altos, Warton Lacerda. 

A princípio o Altos negou que o agressor da jornalista fizesse parte do seu estafe. Porém, após a divulgação de fotos de Abreu no vestiário da equipe, a diretoria voltou atrás e pediu desculpas.

Entidades de defesa do jornalismo e da liberdade de imprensa repudiaram a agressão e cobraram punição do culpado.