Por que os releases também precisam aderir às técnicas de SEO? Veja dicas de especialista

Deborah Freire | 07/05/2021 10:05

O enxugamento das redações, por um lado, e o excesso de informações que chegam aos jornalistas e demandam tempo para serem checadas, por outro lado, tem feito com que os textos de assessorias sejam cada vez mais aproveitados pelos veículos.

Crédito:Pexels

Os tradicionais releases ganham cada vez mais o status de matéria e, por isso, têm se tornado muito parecidos com as reportagens jornalísticas: mais apurados, mais objetivos e com direito a personagens.


Mas para que o material produzido pelas assessorias tenha espaço nos jornais e sites de notícias, adaptações são necessárias ao texto, entre elas, algumas relacionadas às novas tecnologias que permitem maior alcance do conteúdo, como as técnicas de SEO (Search Engine Optimization).


O Portal IMPRENSA conversou com a jornalista Larissa Lima, especialista em Marketing de Performance, e ela deu dicas de como utilizar o SEO nos releases e matérias e falou por que essa adaptação do texto da assessoria é cada vez mais necessária.


“Entre boas e más práticas, há veículos que dedicam espaço para publicações de bons conteúdos de assessoria e outros, para a composição de conteúdo inédito, a partir da curadoria de múltiplas fontes. Ao apoiar as etapas de checagem, formatação e redação, o bom conteúdo da assessoria ganha mais chances de ser priorizado”, avalia.


Se o uso do release em blogs, portais de notícias e outras plataformas digitais de conteúdo fazem esse material estar acessível na internet, Lima defende que a informação deve ser organizada para beneficiar a visibilidade por meio de ferramentas de pesquisa, como o Google. 


“Especialmente no Google, maior buscador do mundo, as técnicas de SEO são focadas na experiência do usuário. É importante considerar que a pesquisa por conteúdo acontece majoritariamente por celular, dispositivo de voz e computador. Quanto mais adequado ao comportamento de consumo da informação, melhor ranqueado estará o conteúdo”, explica.


E não é apenas o texto que deve focar nas técnicas de SEO, mas todos os componentes da notícia, como legendas, nome dos arquivos, imagens e vídeos. Também contam para os buscadores a relevância da informação para o leitor, a descrição do conteúdo, a velocidade da página e a credibilidade do portal.


Para começar a aderir às técnicas, a especialista dá algumas dicas que já podem melhorar o alcance dos releases publicados nos meios digitais e podem ser feitas pelo próprio jornalista e assessor de imprensa.


Confira:


  • Tamanho do título: média de 64 caracteres para que seja lido na íntegra nos resultados de pesquisa;


  • Imagens: legendas e nomenclatura de arquivo amigáveis como “presidente-da-republica-no-palacio.jpg” ao invés de “img2304.jpg”;


  • Intertítulos: a quebra do release em tópicos é uma técnica que facilita a escaneabilidade do conteúdo;


  • Linkagem: mencionar URLs amigáveis como “home/dicas-de-seo” ao invés de “clique aqui”.


Leia também:


Podcasts aumentam público em 17% nos EUA e mercado publicitário começa a perceber retorno


RedeComCiência lança série de vídeos com dicas para a produção de jornalismo científico