Justiça proíbe UOL de cobrir caso de juíza investigada por rede de lucro ilegal

Redação Portal IMPRENSA | 29/04/2021 17:44
Reportagem publicada pela Folha de São Paulo nesta quinta (29) revela que uma desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) determinou a exclusão de matéria publicada em dezembro de 2020 pelo UOL sobre uma juíza suspeita de uso de contas e empresas de parentes e familiares para ocultar recursos desviados de empresas em situação de falência no estado do Rio.

Com o título "Juíza investigada por usar família em rede de lucro ilegal com falências", a reportagem foi assinada pelo colunista Amaury Ribeiro Jr.
Crédito:Reprodução

Além da exclusão do conteúdo, a decisão da desembargadora Maria Angélica Guimarães proibiu a publicação de novas matérias sobre o tema, sob pena de responsabilização civil e criminal.

O UOL recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal) no caso e a ação foi distribuída ao ministro Kassio Nunes Marques. Segundo matéria da Folha, Marques já oficiou a desembargadora responsável pela decisão a prestar esclarecimentos sobre eventual descumprimento de preceito legal que regula a liberdade de pensamento e de manifestação no país.

O caso chamou atenção por evocar um possível espírito corporativista da Justiça do Rio contra a liberdade imprensa. Leandro Demori, editor-executivo  do Intercept Brasil, criticou a decisão do TJ-RJ usando exatamente essa linha de raciocínio. 

"Juiz defendendo juiz contra a liberdade de imprensa. Está se tornando um hábito. Juízes se protegem e se tornam uma casta de intocáveis contra o jornalismo. Isso precisa acabar."