CPI da Covid vai investigar desinformação e notícias falsas sobre a pandemia

Redação Portal IMPRENSA | 22/04/2021 19:49
Uma das maiores preocupações do governo federal atualmente, a CPI da Covid, que será instalada na semana que vem no Senado, deve dedicar grande parte de sua energia a investigar a fabricação e disseminação de conteúdo desinformativo e fake news sobre a pandemia.

Um dos focos dos senadores serão postagens em redes sociais contrárias à vacinação e favoráveis ao uso de medicamentos sem eficácia comprovada, como a cloroquina.

Segundo reportagem publicada no site Antagonista nesta quinta (22), a CPI da Covid poderá inclusive aproveitar parte de investigações iniciadas na CPMI das Fake News.
Crédito:Roque de Sá/Agência Senado
Interrompida no inícido da pandemia, CPMI das Fake News pode voltar com tudo

“Vou consultar a equipe jurídica do Senado, porque há alguns documentos ainda sigilosos, mas, a princípio, tudo ficaria à disposição da CPI da Covid”, disse o senador Angelo Coronel (PSD), presidente da CPMI das Fake News.

Retomada
Aliás, a CPMI das Fake News pode ser retomada nas próximas semanas. Iniciada em setembro de 2019 e interrompida no início da pandemia, ela deverá ter um protocolo sanitário que permitirá a volta de suas atividades. 

Ente os requerimentos que serão analisados com o retorno do trabalho estão os que pedem a convocação do vereador carioca Carlos Bolsonaro, do ex-ministro Sérgio Moro e do ex-diretor geral da Polícia Federal Maurício Valeixo.

Ainda segundo Coronel, a CPMI tem como uma das linhas de investigação  notícias falsas que “atentam contra a vida”. “Antes mesmo da pandemia, havíamos nos proposto a apurar pessoas que incentivam as pessoas a não vacinarem seus filhos. Tudo isso tem a ver com o que a CPI da Covid também irá investigar”, concluiu o senador.