Campanha “CaixaPretadaVacina” cobra dados sobre a vacinação contra a covid-19 no Brasil

Deborah Freire | 31/03/2021 11:19

Com o recorde de mais 3,6 mil mortes por covid-19 em 24 horas registrado nesta terça (30) e apenas 8% da população vacinada, o Brasil enfrenta outro problema relacionado à pandemia que é a falta de transparência dos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Crédito:Agência Brasil

Uma campanha encabeçada por sete organizações da sociedade civil quer o apoio de jornalistas e da população em geral para que o governo abra a “Caixa Preta da Vacina”, com dados completos e consistentes que permitam a todos acompanhar e cobrar eficiência na vacinação.


De acordo com especialistas, 7 em cada 10 informações que o Ministério da Saúde disponibiliza sobre a vacinação têm problemas. Só 27% dos dados disponíveis são satisfatórios. 73% dos dados estão indisponíveis, incompletos ou são inconsistentes. Veja nota técnica.


A análise foi feita pelas organizações Open Knowledge Brasil; Transparência Brasil; Transparência Internacional – Brasil; Observatório Covid-19 BR; Rede de Pesquisa Solidária em Políticas Públicas e Sociedade e Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). O apoio do projeto é  do Laboratório Anticorrupção da Purpose e o estudo foi endossado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), Dado Capital, Instituto Oncoguia, ACT Promoção da Saúde  e Fundação Avina.


Campanha nas redes sociais


Na campanha lançada nesta terça nas redes sociais das entidades envolvidas, um vídeo explica quais dados não estão disponíveis:


- Dados sobre doses distribuídas e aplicadas por município, em documento aberto para download


- Informações sobre etnias das populações indígenas vacinadas


- Detalhamento dos postos de vacinação no Brasil


- Insumos disponíveis para a produção de doses



Os especialistas apontaram, por exemplo, divergências entre duas fontes de informação: o OpenDataSus e o Painel do Ministério da Saúde. Eles encontraram uma diferença de quase 100 mil doses entre as duas plataformas.


Além disso, há problemas de cadastro, como o caso de pessoas que aparecem até 8 vezes cada uma. “Não conseguimos entender a repetição de 25 mil pessoas que aparecem mais de duas vezes na lista dos vacinados”, destaca Fernanda Campagnucci, diretora-executiva da Open Knowledge Brasil. 


Para pressionar o MS a disponibilizar as informações, a campanha quer apoio dos internautas usando as tags #TransparenciaVacina, #QueremosVacina e #CaixaPretadaVacina. “Só tendo os dados completos podemos acompanhar os avanços da vacinação no Brasil”, afirma a ação.


Leia também:


Campanha #FalaPazuello exige transparência do Ministério da Saúde


Relatório revela que mais de 30% dos principais órgãos estaduais descumprem Lei de Acesso à Informação