Vaza Jato repercute após decisão do STF contra Moro

Redação Portal IMPRENSA | 23/03/2021 18:45
A Vaza Jato, série de reportagens publicada pelo Intercept Brasil e outros veículos de imprensa sobre conversas entre procuradores da Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro vazadas de seus celulares, foi bastante lembrada nas redes sociais, após a Segunda Turma do STF decidir que Moro atuou parcialmente nos processos envolvendo o ex-presidente Lula.
Crédito:Reprodução Twitter


Após a revelação dos diálogos da Vaza Jato, em 2019, a ministra Cármen Lúcia, que votou a favor de Moro em 2018, no início do julgamento, indicou que daria um novo voto, sem confirmar se mudaria de posição, o que aconteceu.  

Ela entendeu que foram incluídos elementos novos que revelam perseguição contra Lula pelo poder público. "O que se discute basicamente é algo que pra mim é basilar, que está na pauta desde o primeiro momento, foi mudando o contorno, o cenário e a compreensão do que se tinha, comprovado que há uma parcialidade. Se deu relevo a uma série de dados que não se tinha no primeiro momento", disse. 

Em um dos trechos publicados pela Vaza Jato, Moro sugere uma testemunha de acusação contra Lula para o procurador Deltan Dallagnol. Em outras mensagens, eles comemoram quando a Justiça indefere pedidos de entrevista de jornalistas com Lula, quando ele disputava a eleição para presidente da República, em 2018. 

"O trem da história demora, mas sempre chega. Foram as revelações da Vaza Jato que fizeram com que a ministra do STF Carmem Lúcia, uma das maiores defensoras da Lava Jato, revisse seu voto e declarasse a suspeição do ex-juiz Sergio Moro no caso do Triplex do ex-presidente Lula", comemorou Paula Bianchi, editora do Intercept Brasil. 

A também editora Bruna de Lara repostou a foto do dia em que foi publicada a primeira matéria da Vaza Jato. 

"O Peso da Vaza Jato, do The Intercept, é decisivo para a suspeição do juiz Sergio Moro no julgamento de Lula. Mesmo não tendo sido analisado no HC da defesa, não havia como desconsiderar o escalabro daqueles diálogos divulgados. Maior reportagem da história recente do país", escreveu Murilo Rocha, jornalista da BancdNews FM.