Em 20 dias, três radialistas do mesmo grupo de comunicação morrem de covid-19 no Ceará

Redação Portal IMPRENSA | 16/03/2021 10:42

Morreu nesse domingo (14) o radialista Flávio Moreira, de 72 anos, que atuava nos noticiários de hora em hora na Rádio Cidade AM 820, do Grupo Cidade, no Ceará. Moreira é o terceiro profissional da empresa que morre vítima da doença em apenas 20 dias.

Crédito:Reprodução / Linkedin

De acordo com informações do Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce), no dia 22 de fevereiro morreu Iraguassu Teixeira, de 80 anos, que atuou durante 20 anos como apresentador da Rádio Cidade AM 860, no programa Vida, Saúde e Política, e no dia oito de março, morreu o radialista Pedro Hallan, de 28 anos, que atuava na área técnica das rádios Jovem Pan Fortaleza e Cidade AM.


O Ceará vive atualmente um cenário preocupante da pandemia de coronavírus. A média diária de mortes por covid-19 subiu 28% na primeira quinzena de março comparado com fevereiro, chegando a 41. Hoje, das 12 unidades públicas com leitos para atendimento de pacientes graves, no mínimo sete estão colapsadas e duas com ocupação acima de 80%.


Mas o cenário local não é a única causa de contágio na empresa, segundo o Sindjorce. A entidade afirma que vem recebendo denúncias de que a empresa não cumpre rigorosamente as regras sanitárias de distanciamento, desinfecção dos ambientes e afastamento das pessoas com suspeita de covid-19.


No dia 9 de março, o Sindjorce oficiou as secretarias estadual e municipal de Saúde, a Agência de Fiscalização do Município de Fortaleza e o Ministério Público do Trabalho para que o Grupo Cidade seja responsabilizado e cobrado a cumprir os protocolos de prevenção à doença.


“Também nos dirigimos aos proprietários do Grupo Cidade, para que tomem medidas imediatas. Não é possível que a direção do conglomerado continue fazendo ouvidos moucos enquanto trabalhadores adoecem, infectam seus familiares e vêm a óbito”, reforça o presidente do Sindicato e diretor de Mobilização da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Rafael Mesquita.


O Sindjorce fez as seguintes cobranças e orientações ao Grupo: pagamento de testagem de covid-19 para todos os funcionários da empresa; afastamento para a modalidade home office de todos os jornalistas e radialistas a partir de 60 anos e com comorbidades; uso obrigatório de mais de um microfone para entrevistas; fornecimento de álcool em gel, álcool isopropílico e máscaras para todos os funcionários, e o fim da aglomeração em ambientes sem ventilação dentro da emissora.


Nota


O Grupo Cidade lamentou a morte de Fla´vio Moreira e disse que “com rigor, a empresa segue todas as medidas para combater a disseminac¸a~o da covid-19, desde o ini´cio da pandemia”.


Leia também:


Brasil é o 2° país com mais jornalistas mortos por covid-19


Conteúdo falso sobre vacina da covid-19 aumentou no Facebook com o início da imunização