Google vai pagar conglomerado de notícias por conteúdo compartilhado na plataforma

Redação Portal IMPRENSA | 18/02/2021 10:24

No contexto de uma disputa mundial pelo pagamento de notícias compartilhadas no Google, um veículo de comunicação venceu um litígio de anos e será remunerado pelo conteúdo que produzir para a plataforma. A gigante News Corp, de Rupert Murdoch, vai passar a compartilhar notícias em troca de "pagamentos significativos", segundo anunciou a BBC.

Crédito:Pexels

A disputa não está restrita ao Google. Outras plataformas já vinham sendo cobradas por Murdoch – e por empresas de mídias do mundo inteiro que vêm perdendo verba publicitária para as gigantes de tecnologia.


"Esta tem sido uma causa apaixonante para nossa empresa por mais de uma década e estou grato que os termos de troca estão mudando, não apenas para a News Corp, mas para todos os editores", disse Robert Thomson, executivo-chefe da News Corporation.


A empresa é proprietária do The Sun, The Times, do Wall Street Journal e do Australian, entre outras publicações, e o contrato tem duração de pelo menos três anos.


Leis australianas


O acerto com a News Corp foi feito pouco antes de a Austrália aprovar uma lei que permite nomear uma espécie de juiz para definir as taxas pagas aos editores de notícias, caso não haja acordo. A intenção governamental fez o Google ameaçar cortar seu mecanismo de busca no país e o Facebook informou na semana passada que restringirá notícias em sua plataforma.


Já foram afetados pela medida da mídia social o Bureau de Meteorologia, departamentos de saúde estaduais, instituições de caridade e outros. Na manhã desta quinta, o Facebook começou a impedir que sites de notícias australianos postassem e que usuários australianos compartilhassem ou vissem conteúdo de qualquer meio de comunicação, tanto do país quanto internacional.


A decisão, segundo a plataforma, foi uma resposta ao código de negociação em tramitação no Senado, que forçaria o Facebook e o Google a negociar com empresas de notícias.


A restrição foi vista com críticas, especialmente porque acontece no momento em que a Austrália se prepara para começar a distribuição das vacinas Covid-19, e os departamentos de saúde estaduais não puderam divulgar informações.


“Conteúdo de qualidade”


Só no ano passado, e muito graças à pressão de legisladores na Austrália e em outros países, o Google anunciou que começaria a pagar a algumas empresas de mídia pelas notícias. Seria remunerado conteúdo de “alta qualidade” em uma ação inicial com investimento estimado em 1 bilhão de dólares.


Trata-se do programa Google News Showcase, do qual participam centenas de veículos de comunicação, inclusive no Brasil.


O News Showcase faz ajustes em seu aplicativo de notícias, como promover editoras participantes e dá às organizações de notícias mais controle sobre quais histórias são promovidas e como elas aparecem para os usuários.


Leia também:


Novo modelo de financiamento do jornalismo deve permitir independência editorial, afirma professor Mário Messagi


Midia.jor debate remuneração de conteúdo pelas plataformas e futuro do jornalismo