ABI pede afastamento de Augusto Aras por prevaricação e blindagem à família Bolsonaro

Redação Portal IMPRENSA | 09/02/2021 19:48
A ABI (Associação Brasileira de Imprensa) enviou nesta segunda (8), ao Conselho Nacional do Ministério Público, uma representação contra o Procurador-Geral da República, Augusto Aras. 

Elaborado pelo advogado Carlos Nicodemos, o documento pede o afastamento de Aras pelo crime de prevaricação (retardar ou praticar indevidamente a função pública). 

O documento aponta que Aras protege o governo e a família Bolsonaro e tomou "atitudes não condizentes com sua função fiscalizatória, como membro do Ministério Público". 
Crédito:Pedro França/Agência Senado

A ABI acusa Aras de ter arquivado representação pela qual subprocuradores da República recomendavam ao presidente Jair Bolsonaro que se abstivesse de propagar informações falsas.

Ainda de acordo com a ABI, o procurador-geral engavetou investigações criminais, ao citar pedidos envolvendo a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, por agressões a governadores. 

O documento também cita a blindagem de Aras ao ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, por ameaças ao STF, e à deputada federal Carla Zambelli, por tráfico de influência. 

Além do afastamento imediato de Augusto Aras, o documento pede que a reclamação seja submetida ao plenário do Conselho Nacional do Ministério Público de para que um Processo Administrativo Disciplinar contra o procurador seja aberto.