Ao lado de Bolsonaro, Fux critica uso da liberdade de expressão para propagar ódio

Redação Portal IMPRENSA | 01/02/2021 18:22
Durante cerimônia de abertura do ano judiciário de 2021, realizada nesta segunda (1), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, criticou o "negacionismo científico" e "pessoas que usam a liberdade de expressão para propagar o ódio". 

Além de um minuto de silêncio em homenagem às mais de 220 mil vítimas da covid-19 no país, o evento contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, que em rara ocasião usava máscara. 
Crédito:Nelson Jr/STF

Ao criticar o abuso de liberdade de expressão por negacionistas na pandemia, Fux fez referência às declarações do novo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), Carlos Eduardo Contar, que, alinhado ao discurso do governo federal, chamou de irresponsável, covarde e picareta os governantes que propõem medidas de isolamento para conter a propagação da doença. 

"A prudência vencerá a perturbação e a racionalidade vencerá o obscurantismo. Para tanto, não devemos ouvir as vozes isoladas, algumas inclusive no âmbito do Poder Judiciário. Confesso que fiquei estarrecido com pronunciamento de um presidente de um Tribunal de Justiça minimizando as dores deste flagelo", discursou Fux, sem citar o nome novo presidente do TJ-MS. 

"São pessoas que abusam da liberdade de expressão para propagar o ódio, desprezam as vítimas e desprezam, pelo negacionismo científico, o problema grave que vivemos."