Radar Aos Fatos passa a detectar desinformação sobre Judiciário brasileiro

Redação Portal IMPRENSA | 22/12/2020 10:52
O Radar Aos Fatos, ferramenta que monitora desinformação em tempo real, passou a detectar conteúdo potencialmente enganoso sobre o Judiciário brasileiro. 

Num primeiro momento, a análise de publicações sobre o Judiciário se concentrará nos atores e pautas das cortes superiores: STF (Supremo Tribunal Federal), STJ (Superior Tribunal de Justiça), TST (Tribunal Superior do Trabalho), TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e STM (Superior Tribunal Militar).

A diretora executiva do Aos Fatos, Tai Nalon, explica que a escolha desse tema se deveu principalmente à relevância dos tribunais no processo político brasileiro e à menção a magistrados em peças de desinformação.

"O Judiciário brasileiro se debruça sobre questões que frequentemente são tema de campanhas desinformativas, como as eleições, a pandemia e pautas de direitos humanos", diz.

Além do Judiciário, o Radar continuará coletando conteúdo de baixa qualidade sobre Covid-19, tema ativo desde agosto, quando a ferramenta foi lançada. 

O monitoramento sobre eleições municipais, iniciado em 28 de setembro, foi desativado no último domingo (6), uma semana após o fim do segundo turno.

Crédito:Aos Fatos


Facebook
A ferramenta também passa a monitorar conteúdo sobre a pandemia e sobre o Judiciário publicado por páginas, perfis verificados e grupos públicos no Facebook.

Os dados são coletados por meio da API do CrowdTangle e processados de acordo com metodologia desenvolvida pelo Aos Fatos.

Com a expansão, o Radar busca conteúdo em cinco plataformas: Facebook, sites da web, Twitter, WhatsApp e YouTube.