Websérie da ONU com Agência Lupa aposta no humor para combater desinformação sobre a covid-19

Deborah Freire | 07/12/2020 12:13

Se as reportagens diárias com checagens de informações sobre a pandemia de covid-19, verdades sobre a vacinação, recomendações sobre o uso de máscara e outros temas relacionados ao coronavírus não têm sido suficientes para esclarecer pessoas em todo o mundo sobre a doença, seus riscos e cuidados, o humor será a nova ferramenta usada no combate às fake news.

Crédito:Reprodução

A Organização das Nações Unidas (ONU) em parceria com a Lupa, agência brasileira de checagem de notícias, vai lançar nesta terça (08) uma websérie com quatro episódios humorísticos com esclarecimentos sobre a covid.


A iniciativa batizada de #SóQueNão poderá ser acompanhada pelas redes sociais da Lupa e da ONU Brasil. Serão quatro episódios comandados pelo humorista Hamiltinho, que já fez Estranha Mente, na Multishow, e com a participação de Rafael Infante, do Porta dos Fundos e Vai Que Cola.


Mesmo usando o instrumento da graça, a websérie vai trabalhar com a seriedade das informações checadas pela Agência Lupa sobre os principais boatos que circulam nas redes sociais sobre o coronavírus.



Entre as desinformações a serem combatidas estão o boato de que o uso da máscara aumentaria a taxa de dióxido de carbono no cérebro. Outra fake news citada no lançamento da ação afirma que vacinas gerariam seres humanos geneticamente modificados e permitiriam controlá-los através de microchip.


Campanha global


A ação faz parte de uma campanha global da ONU para estimular que informações científicas sérias e de qualidade circulem mais pelas redes sociais de forma acessível e didática.


Em outubro, a organização realizou uma parceria com o TikTok para permitir que cientistas de todo o mundo falassem de forma criativa e envolvente sobre as vacinas que estão sendo produzidas contra o coronavírus, e com isso reduzir o movimento antivacinas no Brasil e no mundo.


Leia também:


Desinformação sobre tratamentos contra covid-19 diminui no mundo, mas segue em alta no Brasil


Portais bolsonaristas ganham visibilidade no Google com ajuda de sites governamentais, diz pesquisa da Agência Pública