Profissionais pretos pedem proteção de empregos a agências de publicidade após ataque a programa de inclusão

Redação Portal IMPRENSA | 13/11/2020 11:20

Um grupo de profissionais de agências de publicidade brasileiras criou esta semana uma petição on-line, que já tem mais 2.400 assinaturas, para cobrar das empresas que se manifestem sobre a inclusão e proteção de funcionários pretos em seus quadros de trabalho.

Crédito:Marcelo Camargo / Agência Brasil


A iniciativa foi uma resposta a um comentário racista feito em uma planilha que circula no mercado publicitário com críticas criminosas ao programa de contratação de pessoas pretas gerido por uma agência de São Paulo.


A mensagem, obtida e divulgada pelo Clube de Criação, diz: "Tem um monte de preto incompetentes, que são superprotegidos pela [nome ocultado] (gerente e puxa-saco da [nome ocultado] e [nome ocultado]). Aliás, ela puxa-saco de todos, pra não demitirem ela por ser péssima gestora. Agora, ainda inventaram um tal [nome do programa de inclusão], só pros pretos incompetentes se seguraram mais. PAREM DE CONTRATAR PELA COR!!!!".


Após o comentário, que veio à tona no dia 10, foi criada no Avaaz a petição “Proteção aos profissionais pretos de agência de publicidade”, com objetivo de obter 3 mil assinaturas.


No texto da petição, o grupo afirma: “Uma pessoa fez um comentário deslegitimando um movimento de inclusão e luta, sendo que temos poucas ações efetivas no meio. Não apenas isso, mas todo o movimento negro que está acontecendo para a inclusão de pessoas pretas no mercado. Estamos sendo inferiorizados pela nossa cor e vivência às vésperas do dia da Consciência Negra, onde centenas de ações estão sendo criadas para dentro do ambiente das agências, quanto para as marcas que prestamos serviços”.


O intuito da medida é pedir proteção das agências aos profissionais pretos e a garantia de ambientes saudáveis de trabalho. “Muitas agências do Brasil possuem programas de diversidade, porém, com comentários assim e sofrendo o racismo estrutural diário, nos sentimos desprotegidos em um ambiente que deveria garantir nossos direitos não apenas trabalhistas, mas como pessoas [...]. Queremos garantir um ambiente minimamente saudável para trabalhar nas agências brasileiras. Por isso, pedimos que as mesmas venham a público garantir a proteção desses profissionais pretos que sofreram graves danos psicológicos e morais no ambiente de trabalho. Vale ressaltar que desejamos também que o responsável por esse infeliz comentário seja responsabilizado pelos seus atos”, afirma o texto.


A agência Ogilvy Brasil se manifestou em nota no Twitter no dia 11, onde presta solidariedade aos profissionais e afirma que medidas legais estão sendo tomadas contra agressões racistas. “Nossa solidariedade aos nossos profissionais negros diante das inaceitáveis agressões racistas endereçadas a vocês. Não aceitaremos retroceder. Seguiremos trilhando o caminho da diversidade e respeito. E as medidas legais estão sendo tomadas para que agressões racistas não passem”.


As agências Wunderman Thompson e Fbiz também abordaram o assunto, mas só internamente entre os colaboradores, e reafirmaram o posicionamento a favor dos programas de inclusão e diversidade.


Leia também:


Black Lives Matter mexe com a cobertura da pauta do racismo nos EUA


Relatório da Unesco mostra aumento de agressões a jornalistas na cobertura de protestos pelo mundo