Impactos na saúde mental são o maior desafio dos jornalistas na pandemia, aponta estudo

Redação Portal IMPRENSA | 21/10/2020 10:16

O primeiro relatório da pesquisa global que mapeia os impactos da pandemia de covid-19 na profissão foi publicado pelo Centro Internacional para Jornalistas, em parceria com o Centro de Incentivo para o Jornalismo Digital e a Universidade Columbia.

Crédito:Agência Brasil

Entre as primeiras descobertas do projeto, o estudo aponta que 70% dos entrevistados identificaram impactos na saúde mental durante a cobertura da covid-19 como o desafio mais difícil. Mais de 80% relataram alguma reação emocional negativa durante o trabalho.


Além do medo, natural por conta do risco de contágio, 30% dos ouvidos disseram que suas empresas não forneceram aos repórteres de campo nenhum tipo de equipamento de proteção durante a primeira onda da pandemia.


Foram colhidas respostas de mais de 1.400 jornalistas falantes de inglês de 125 países, e elas fazem um alerta sobre a profissão. Em um momento em que o jornalismo independente e confiável é essencial para informar a população, jornalistas e veículos enfrentam crise de saúde mental, problemas financeiros, ameaças à segurança física e ataques à liberdade de imprensa, ao mesmo tempo em que lutam contra níveis alarmantes de desinformação.


Políticos e outras autoridades foram identificados por 46% dos entrevistados como a principal fonte de desinformação. Além disso, 81% dos profissionais disseram que ao menos uma vez por semana se depararam com desinformação, sendo que boa parte lida com o problema todos os dias. No Facebook, é onde os profissionais encontram a maior quantidade de fake news.


Quase metade disse que suas fontes expressaram medo de retaliação por falar com jornalistas durante a pandemia.


O projeto tem duração de um ano e vai divulgar relatórios adicionais nos próximos meses com base em pesquisas em seis outras línguas.


Entre as perguntas que devem ser respondidas estão: como a pandemia está transformando os negócios e a prática do jornalismo; quais ameaças à liberdade da mídia e à segurança do jornalismo surgiram com a covid-19 e como jornalistas e organizações de notícias estão respondendo a elas; e por último, como jornalistas e organizações de notícias estão vivenciando e trabalhando para combater a onda de desinformação que acompanha a pandemia.


A pesquisa permite identificar desafios e orientar o futuro do jornalismo diante de uma convergência de ameaças.


Leia aqui o relatório completo. Para obter mais informações ou colaborar como parceiro de pesquisa, o contato do projeto é pandemicproject@icfj.org. A ação tem apoio da organização filantrópica global Luminate e do Comitê para a Proteção de Jornalistas (CPJ).


Leia também:


Covid-19 aumenta desigualdades entre homens e mulheres jornalistas, constata pesquisa do IFJ


Guia auxilia jornalistas na cobertura ética da Covid-19