Justiça manda Quatro Rodas retirar do ar matéria com críticas a produto automotivo

Redação Portal Imprensa | 28/08/2020 11:33

O Tribunal de Justiça do Paraná concedeu pedido de tutela antecipada para retirar do ar reportagem da revista Quatro Rodas na internet sobre um produto da empresa Militec. A decisão é do dia 15 de agosto, apenas um dia depois de ir ao ar a matéria "Militec-1 pode ser corrosivo para o motor e não tinha registro na ANP".

Crédito:Reprodução


Na decisão, a juíza substituta Beatriz Fruet de Moraes argumentou que a reportagem não mencionou que o procedimento administrativo que apura denúncias contra o produto, junto à Agência Nacional de Petróleo (ANP), não estava finalizado e que não haveria proibição para comercializá-lo.


Ela alegou que a veiculação da matéria poderia gerar "prejuízos irreparáveis" à empresa, o que se enquadra no artigo 303 do Código de Processo Civil, e fundamenta a decisão favorável ao pedido.


De acordo com o jornalista Henrique Rodriguez, autor da matéria, um laudo da ANP anexado a processo administrativo aberto contra a Militec sustenta a afirmação feita no texto de que o produto pode ser corrosivo. O repórter também obteve a análise de um especialista, Eduardo Polati, mestre em Engenharia Mecânica.


Rodriguez afirma ainda que reproduziu nota da Militec onde consta a informação de que o processo administrativo para apurar denúncias sobre o Militec-1 está sendo julgado em primeira instância. Ele diz ainda ter citado que uma resolução revogou a obrigatoriedade de registro do produto em 2019.


Repercussão


A decisão repercutiu entre entidades de jornalismo e foi assunto de matérias até de veículos especializados concorrentes da revista Quatro Rodas. Eles classificaram a medida como um ato de censura.


A Associação Nacional de Editores de Revistas, o site do AutoEsporte, o blog AutoPapo e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo se posicionaram contrários à decisão.


"Buscar a Justiça para pedir reparação é um direito de qualquer pessoa. No entanto, censurar reportagem em tempo recorde de análise sinaliza que, cada vez mais, processos judiciais se tornam uma estratégia para calar a imprensa", declarou Marcelo Träsel, presidente da Abraji.


A Editora Abril, responsável pela Quatro Rodas, informou que ainda analisa que medidas irá tomar.

A Militec Brasil ainda não se pronunciou sobre a decisão.


Leia também:


Prefeito divulga telefone de jornalista na internet após matéria que denunciou evento do Município com aglomeração


Parlamentares que votam sobre PL das Fake News já pediram judicialmente retirada de conteúdo da internet