Após morte de jornalista por coronavírus, MPT pode interditar sucursal do SBT no Rio

Redação Portal Imprensa | 15/04/2020 10:45
A sucursal do SBT no Rio de Janeiro corre o risco de ser interditada por ter se tornado foco de proliferação do coronavírus. Após denúncias do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), o Ministério Público do Rio de Janeiro solicitou inspeção sanitária e prepara uma liminar para que um juiz determine o fechamento da redação.

Crédito:Reprodução ABI







Segundo a ABI, dos 75 profissionais da sucursal, 35 foram afastados por suspeita de coronavírus. Um deles, o cinegrafista Robson Thiago Mesquita, está internado em estado grave no Hospital Badim.

Na segunda-feira, o editor de imagens José Augusto Nascimento Silva, de 58 anos, morreu após ficar duas semanas internado. Antes de morrer, o jornalista gravou áudios acusando o SBT Rio de negligência por permitir que funcionários com suspeita da doença continuassem trabalhando. "Nenhum lugar no Rio de Janeiro tem mais casos suspeitos que no SBT. (...) Eu agora estou sob suspeita, inclusive com atestado de 14 dias que o doutor deu porque me calcei, sabe que não sou burro. Se tiver que processar essa turma eu vou processar. Acho de uma irresponsabilidade tremenda", disse. 

A sucursal do SBT está instalada num antigo armazém de mercadorias e, segundo a ABI, não possui ventilação natural adequada, o que pode ter facilitado a propagação do vírus.  O compliance do SBT vai ouvir funcionários, nos próximos dias, para apurar se a direção obrigou os funcionários a seguir o expediente mesmo com sintomas da doença. 

Em São Paulo, o jornalista Marcelo Torres, âncora do SBT Brasil, foi afastado das funções após testar positivo para Covid-19.

Leia também: