Jornalista alemão é atacado por ativistas de extrema direita em Atenas

Redação Portal IMPRENSA | 21/01/2020 14:09
O jornalista alemão Thomas Jacobi, foi atacado por um grupo de ativistas de extrema direita enquanto cobria uma manifestação anti-imigração na Praça Syntagma, no centro de Atenas.  Ele trabalha para a rádio alemã Deutsche Welle e é correspondente francês do diário La Croix, foi atacado por ativistas da extrema direita.

Crédito:Thomas Jacobi, 19.01.2020 / AFP
Ele recebeu socos no rosto por vários minutos, antes de conseguir escapar, com a ajuda de jornalistas gregos que também estavam no local.

“Os ataques de ativistas de extrema direita contra a imprensa costumam ser negligenciados. Conclamamos, as autoridades a tomarem medidas imediatas para garantir a proteção dos jornalistas no exercício de seu trabalho e combater efetivamente a impunidade dos agressores”, disse Pauline Adès-Mével, editora-chefe da RSF.  

Outras entindades, como a Associação de Imprensa Estrangeira da Grécia (FPA) e a Associação de Editores dos jornais Athens Daily (ESIEA), também condenaram o ataque.

O porta-voz do governo grego Stelios Petsas condenou o "ataque fascista" e disse que uma investigação foi aberta. 

Essa foi a segunda vez que Jacobi foi atacado.Há um ano, membros do grupo neonazista Golden Dawn o atacaram, em Atenas, enquanto cobria uma manifestação em frente ao Parlamento. Esse ataque seguiu o documentário em que ele participou em 2016, intitulado "Golden Dawn: a affair pessoal", dirigido pela jornalista Angélique Kourounis.

Leia também:
Jornalista francês é preso após divulgar presença de Macron em teatro de Paris
Jornalistas já enfrentam restrições na cobertura do impeachment de Trump