Inquérito das fake news no STF ordena que PF investigue redes bolsonaristas

Redação Portal IMPRENSA | 14/10/2019 11:42
Como parte do chamado “inquérito das fake news”, que apura o uso de desinformação em ataques virtuais ao STF, a Polícia Federal vai investigar uma rede de disparos de mensagens favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro, ativa desde as eleições do ano passado.
Crédito:Marcelo Camargo/Agência Brasil


A ordem partiu do ministro Alexandre de Moraes. A ideia é investigar se há relação entre a rede de fake news e os ataques sofridos por ministros da corte recentemente. 

Ciente de que muitas linhas telefônicas usadas nos disparos durante as eleições são usadas hoje para administrar grupos públicos de WhatsApp a favor do governo Bolsonaro (nos quais boa parte das mensagens só podem ser passadas pelos administradores, como “listas de transmissão”), o STF quer saber se a mesma estrutura é utilizada para disseminar os ataques e ameaças a ministros da corte que motivaram a abertura do “inquérito das fake news”. 

Ao UOL, o ministro Alexandre de Moraes lembrou que alguém paga, por algum motivo, essa rede de ataques virtuais e notícias falsas, e que, a partir de agora, elas serão investigadas a fundo. 

Leia também:
WhatsApp confirma envio de mais de 100 mil notícias falsas nas eleições de 2018
Governo sugere boicote de anunciantes após reportagem sobre investigação de caixa dois