Globo dá resposta após ser chamada de 'inimiga' por Bolsonaro

Redação Portal IMPRENSA | 20/02/2019 11:42

O presidente Jair Bolsonaro voltou a causar polêmica com a imprensa. Desta vez, o alvo foi a Rede Globo. Em áudio de conversa com o ex-ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, divulgado pela revista Veja, Bolsonaro usa o termo "inimigo" para se referir à emissora. Na edição de terça-feira (19) do Jornal Nacional, o Grupo Globo respondeu através de nota oficial: 

Crédito: Reprodução

"O Grupo Globo considera que não tem nem cultiva inimigos. A própria natureza de sua atividade jamais permitiria qualquer postura em contrário. Hoje, como sempre, sua missão é levar ao público jornalismo independente, dando transparência a tudo o que é relevante ao país, e entretenimento de qualidade. O Grupo Globo continuará a trabalhar nessa mesma direção". 


O texto destaca ainda que o contato entre a emissora e autoridades públicas é normal: "(..)Nesse aspecto, o Grupo Globo não se diferencia de outros grupos empresariais que pretendem ouvir todas as vozes de uma sociedade livre, de forma transparente e com uma agenda pública, mantendo relações republicanas".
 
A nota foi lida por William Bonner logo após a apresentação de uma reportagem sobre os áudios. Nas gravações, Bolsonaro se queixa de um encontro entre Bebianno e o vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet Camargo. 


Em determinado momento, o presidente reclama da presença do executivo no Planalto. "Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nos estamos aproximando da Globo. Então, não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora, inimigo passivo, sim. Agora, trazer o inimigo para dentro de casa é outra história", disse.

Essa não é a primeira vez que Bolsonaro cria polêmica com a imprensa. Logo após ser eleito, o presidente atacou a Folha de S. Paulo

Leia também:
Após estreia histórica, Maju agradece acolhimento no Jornal Nacional

Estudo da USP revela que precariedade, paixão e inovação marcam perfil de novas organizações jornalísticas em São Paulo