Secretário de Estado dos EUA vai pressionar sauditas por assassinato de jornalista

Redação Portal IMPRENSA | 14/01/2019 09:55

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou neste domingo que pedirá ao governo da Arábia Saudita que "prestem contas" pelo assassinato do jornalista Jamal Khashoggi. O crime foi praticado no dia 2 de outubro de 2018 dentro do consulado saudita em Istambul, na Turquia. 

Crédito:Marcelo Camargo/Agência Brasil

Pompeo está fazendo um tour por vários países do Oriente Médio. Ele vai passar por Riad, capital da Arábia Saudita, nesta segunda-feira. A viagem duraria mais tempo, porém, o secretário deverá retornar aos EUA logo após essa visita por causa de um falecimento na família de sua mulher, que o está acompanhando nessa viagem.


Autoridades sauditas negam o envolvimento do príncipe herdeiro Mohamed bin Salman no crime. Porém, uma investigação realizada pela CIA, agência de inteligência americana, detectou sinais de que o monarca está relacionado aos acontecimentos. O governo turco também não confia na versão apresentada no inquérito realizado pela Arábia Saudita e chegou a pedir a extradição dos acusados.


Khashoggi morava desde 2017 nos Estados Unidos, onde trabalhava como articulista no jornal Washington Post. Crítico do governo de seu país e contrário à guerra contra o Iêmen, ele havia deixado a Arábia Saudita por recear represálias. 


A Justiça saudita acusou 11 homens de participação no assassinato do jornalista. O governo diz que eles agiram sem conhecimento da Casa Real. O grupo já começou a ser julgado e a promotoria pediu pena de morte para cinco deles. 


Leia também:
No 100º dia do assassinato de jornalista, Anistia Internacional pede investigação internacional sobre o crime

ONU oferece bolsa para jornalistas cobrirem Assembleia Geral em Nova York