Bloqueio de Bolsonaro a jornalista em rede social rende polêmica

Redação Portal IMPRENSA | 24/12/2018 14:27

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) bloqueou o editor do site The Intercept, Leandro Demori, em seu Twitter. O jornalista reclamou porque o microblog é usado para divulgação de informações oficiais sobre o novo governo. 


Crédito:Tânia Rêgo/Agência Brasil


"Pode o presidente eleito do país bloquear um jornalista? Justamente no meio onde ele promete prestar contas à população? @jairbolsonaro acaba de me bloquear aqui no Twitter porque expus mais uma de suas mentiras descaradas. Em que tipo de democracia ele acredita?, escreveu Demori. Outros profissionais que trabalham para o site também foram bloqueados. 


Ex-administrador oficial das redes sociais do pai, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL), chamou as acusações do jornalista de piada. "O PT tenta desde 2002 controlar todos os meios de comunicação. Em 2018, o controle da mídia e internet também estava em seu plano de governo. Mas Bolsonaro que é acusado de querer calar a imprensa porque bloqueou um militante esquerdista mal educado em seu perfil pessoal. Piada!", escreveu. 


Nesta segunda-feira (24), Michelle, futura primeira-dama, e suas duas filhas, se juntaram a Carlos e ao presidente eleito na Restinga de Marambaia, no Rio de Janeiro, para o Natal. Por determinação da segurança, a imprensa teve de se manter distante. De acordo com informações do site UOL, um helicóptero das Forças Armadas interceptou a lancha em que estavam jornalistas do grupo Folha, dos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo e da Rede Bandeirantes, e que tentava acompanhar o barco em que viajava Michelle. No domingo (23), a Marinha já havia determinado um perímetro de segurança para a imprensa.


Leia também:

Bolsonaro anuncia corte de verbas e revisão nos quadros da comunicação
Violência contra jornalistas cresceu em 2018, indica balanço da RSF