Jornalista acusado de ofender Nordeste desabafa e crítica ‘ditadura’ das redes sociais

Redação Portal IMPRENSA | 26/06/2014 14:00
O jornalista e escritor gaúcho Eduardo Bueno, conhecido como Peninha, rebateu as críticas que vem recebendo após uma declaração sobre o Nordeste no programa “Extraordinários”, da SporTV. Na última terça-feira (24/6), o comentarista fez críticas ao que considera uma “ditadura” das redes sociais. 

Crédito:Reprodução
Jornalista "declarou" guerra aos internautas que fizeram petição online contra ele

De acordo com o UOL, na semana passada Peninha falava sobre a presença holandesa no Nordeste brasileiro no século 17 quando soltou a frase polêmica. “A Holanda juntou o útil de ocupar a área açucareira do Brasil, porque todo o açúcar era refinado na área rica do Brasil – aquela bosta lá do Nordeste”, disse. “Isso é uma piada”, falou, na sequência. O comentário foi entendido por alguns telespectadores como preconceito, e gerou até uma petição pública pedindo um processo criminal contra o escritor por discriminação.

Após a repercussão, o jornalista desabafou sobre o assunto. “Eu tenho que falar um tema sério, sério de verdade. Não é brincadeira, é um pronunciamento. O negócio é o seguinte: eu quero declarar guerra! Guerra a nordestino babaca! Está cheio de nordestino babaca e eu conjuro e chamo todos os nordestinos verdadeiros que amam o Nordeste como eu”, declara.

Ao final, Peninha ressaltou sua relação com a região e pediu para seus críticos lerem publicações a respeito antes de propor o debate da questão. “O Nordeste que eu conheço. O Nordeste que eu adoro. O Nordeste que eu sei a formação geológica. Todos vocês que são babacas, f…-se as redes sociais. Se quiserem fazer protesto contra mim, façam. É o seguinte: chega dessa ditadura desses babacas de Twitter. Quer brigar comigo? Vem, mas leia quarenta livros e ame e venere o Nordeste como eu amo e venero o Nordeste. É isso aí! Tem uma petição pública querendo me processar. Pegaram o cara errado!”, concluiu.

Assista aos vídeos:




Leia também