Prêmio Abril de Jornalismo chega a sua 30ª edição

Por Redação Portal Imprensa | 03/06/2005 18:15


Evento para 900 convidados na Sala São Paulo reúne vencedores e jurados de todas as edições

A Editora Abril recebe cerca de 900 convidados na próxima segunda-feira, dia 6 de junho, para o anúncio dos vencedores da 30º edição do Prêmio Abril de Jornalismo. O evento será realizado na Sala São Paulo, a partir das 19 horas. Entre os convidados estão alguns jurados que participaram da história do prêmio, como José Serra, Aguinaldo Silva e Glória Kalil.

A história do Prêmio Abril de Jornalismo se confunde com a própria história do país nas últimas três décadas. Entre os trabalhos premiados, por exemplo, está a edição extra de VEJA em 30 de setembro de 1992, que sintetiza um dos mais importantes episódios políticos do país: o impeachment de Collor. Outro exemplo que comprova o compromisso com a informação ao público aparece logo no II Prêmio Abril de Jornalismo, também com a VEJA: "A Morte de JK" foi uma edição completa colocada à venda 48 horas após a morte do ex-presidente, em agosto de 1976.

A idéia do Prêmio foi de Thomaz Souto Corrêa, atual vice-presidente do Conselho Editorial da Abril. Na época, ele defendia a necessidade de valorizar e reconhecer os bons trabalhos que nunca eram lembrados em prêmio algum. Reportagens de moda e culinária, além das artes gráficas, por exemplo, ficavam sempre de fora das grandes premiações nacionais. A proposta foi bem recebida por Roberto Civita e aceita com entusiasmo por Victor Civita, que definiu que o prêmio seria para todas as publicações da editora. "Nos últimos 30 anos, o Prêmio Abril de Jornalismo tem funcionado com um instrumento ativo de batalha pela qualidade das publicações da casa", afirma Corrêa.

Em 30 anos, 935 trabalhos de 1342 profissionais já foram premiados. A maior vencedora é a jornalista Dorrit Harazin, que ganhou em 13 ocasiões e foi indicada como finalista em 25. Outros três profissionais receberam mais de 10 prêmios: o fotógrafo Pedro Martinelli (12), e os jornalistas Tales Alvarenga (11) e Augusto Nunes (10). O fotógrafo JR Duran foi o que recebeu o maior número de indicações (9 prêmios e 23 destaques). O segundo colocado é Eurípedes Alcântara, atual diretor de redação de VEJA, com 6 prêmios e 25 destaques. O mais antigo vencedor que ainda trabalha na Abril é Carlos Grasseti. Ele foi premiado 9 vezes, inclusive na primeira edição, por seus trabalhos na área de artes gráficas. Grasseti completou em janeiro 41 anos de Abril.

Na próxima segunda-feira, serão anunciados os vencedores em 33 categorias: 16 para matéria completa (Beleza, Carreira e Trabalho, Casa, Ciência, Comportamento, Cultura, Economia, Educação, Esporte, Gastronomia, Gente, Moda, Política, Saúde, Tecnologia e Viagem), 4 para texto (Artigo, Entrevista, Perfil e Reportagem), 5 para arte (Capa, Design de abertura de matéria, Design de matéria, Ilustração e Infografia), 3 para foto (Fotojornalismo, Ensaio Fotográfico e Foto produzida) e 5 especiais (Edição Especial de Revista, Projeto Gráfico, Site do Ano, Revista do Ano e Conjunto da Obra). A critério da Diretoria da Abril, serão concedidos três viagens-estágio para os profissionais que mais se destacaram em 2004 na área de texto, arte e foto.



Mais Informações:
Linhas&Laudas Comunicação

11 3801.1277

Fernanda Bulhões - fernanda@linhaselaudas.com.br
Ederaldo Kosa - ekosa@linhaselaudas.com.br
Júlia Lerro - julia@linhaselaudas.com.br
Renato Pezzotti - renato@linhaselaudas.com.br
Luciana Oliveira - luciana@linhaselaudas.com.br