"Rolling Stone" e repórter são processadas por universidade após reportagem sobre estupro

Redação Portal IMPRENSA | 14/05/2015 14:00
Na última terça-feira (12/5), a reitora-associada da Universidade da Virgínia, Nicole Eramo, entrou com um processo por difamação contra a revista Rolling Stone, a Wenner Media e a repórter Sabrina Rubin Erdely pela reportagem “Um Estupro no Campus”, publicada em novembro do ano passado, que denunciava um estupro coletivo no campus da entidade. 

Crédito:Reprodução
Universidade quer indenização de 7,85 milhões de dólares da revista por difamação

De acordo com a Reuters, a reitora pede uma indenização de 7,85 milhões de dólares pelo material que alertava sobre um estupro ocorrido em 2012 na fraternidade Phi Kappa Psi. O artigo gerou grande debate acerca da violência sexual em universidades norte-americanas e Eramo acusou o veículo, o grupo de mídia responsável pela revista e a repórter de "retratarem a Universidade de Virgínia como uma instituição indiferente a estupros no campus".  

Em dezembro, a Rolling Stone se desculpou pela acusação e revelou nunca ter ouvido os sete homens acusados pelo estupro. Uma análise feita pela Universidade de Columbia, encomendada pela própria revista, apontou falhas da reportagem e da edição.