Grupo Clarín consegue adiar na justiça adaptação à lei de mídia argentina

Redação Portal IMPRENSA | 24/02/2015 09:30
A Justiça argentina aceitou o pedido do grupo Clarín para adiar a adaptação à nova lei de regulação da mídia no país. Segundo a medida, a empresa teria de se desfazer de parte dos seus ativos. Aprovada em 2009, a norma visa limitar a quantidade de licenças de rádio e televisão no país.

Crédito:Reprodução
Grupo de mídia terá mais tempo para se adequar à Lei de Meios

De acordo com a Folhapress, em maio de 2014, o grupo apresentou um plano voluntário em que criava seis novas empresas. Algumas delas seriam vendidas.

No fim do ano, entretanto, a Afsca, órgão do governo responsável pela regulamentação, colocou suspendeu as operações de venda e decidiu que o grupo deveria ser desmembrado por meio de leilões. A divergência levou a questão à Justiça.

Em dezembro, o Clarín conseguiu uma liminar, autorizando a postergação do prazo por mais seis meses. A decisão foi confirmada na última sexta (20/2). O governo ainda pode recorrer na Suprema Corte.

Leia também