Governador do DF dá entrada em interpelação contra jornalista; Entidades repudiam

Redação Portal IMPRENSA | 30/09/2021 09:26
A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) emitiram uma nota de repúdio contra o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), que deu entrada em uma interpelação judicial contra o jornalista Gabriel Luiz Araújo, da TV Globo. 

Ibaneis teria ficado incomodado com a veiculação de uma reportagem sobre a sua festa de aniversário de 50 anos, promovida com um amigo. Na matéria, Gabriel Luiz abordava a relação desse empresário com o governo do Distrito Federal. 
Crédito:Paulo H. Carvalho/Agência Brasília
Ibaneis Rocha, Governador do Distrito Federal
Governador Ibaneis Rocha, do Distrito Federal
"Em tempos de democracia fragilizada, em grande medida pelos constantes ataques do presidente da República a jornalistas e ao jornalismo, é temerário que um governante, em vez de justificar suas ações, busque intimidar judicialmente aqueles que as questionam", disseram as entidades. 

A interpelação judicial é um instrumento pelo qual um cidadão se dirige a um juiz pedindo esclarecimentos sobre a conservação e ressalva de seus direitos, servindo como um primeiro passo para um processo judicial. 

Os advogados do governador afirmam que a TV Globo quis "provocar no telespectador a sensação de que o contrato celebrado entre o IGES-DF e a Perboni[embresa] seria fruto da apontada relação de amizade" entre Ibaneis e o empresário. 

No texto, o Sindicato e a Fenaj também denunciam o que seria uma "escalada autoritária contra jornalistas no DF, que vive uma crescente nos últimos tempos". 

"Em 2 de agosto, ação semelhante de Ibaneis Rocha foi movida contra o jornalista Renato Souza, à época no Correio Braziliense e hoje no portal R7. Há menos de um mês, praxe do tipo foi adotada por gestores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) contra a representante dos empregados no Conselho de Administração (Consad) da empresa, Kariane Costa, quando a trabalhadora recebeu uma interpelação criminal por fazer o seu trabalho no referido colegiado", afirmam. 

O Portal IMPRENSA tentou contato com o governo do Distrito Federal, e aguarda resposta. 

Leia também: