Jornalistas do "Diário de S.Paulo" entram em greve após atrasos salariais

Redação Portal IMPRENSA | 20/07/2016 09:00
Jornalistas do Diário de S.Paulo decidiram paralisar suas atividades desde a tarde da última terça-feira (19/7) para que o jornal atenda suas reivindicações. A decisão foi tomada depois de uma assembleia feita pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP).

Crédito:Reprodução
Atraso de salários e benefícios levou jornalistas ao estado de greve

De acordo com a entidade, cerca de 50 profissionais participaram da reunião e aprovaram entrar em Estado de Greve diante da insatisfação com a empresa que não pagou 50% dos salários de junho, além do vale-refeição desde março e apresentou irregularidades na declaração do Imposto de Renda de 2016. 

O Sindicato aponta também que há constantes atrasos nos pagamento salariais desde outubro do ano passado, atraso no pagamento do FGTS desde setembro de 2014, falta de repasse do IRPF retido na fonte à Receita Federal, rompimento unilateral do plano de saúde e não pagamento de verbas rescisórias aos demitidos.

O presidente do Sindicato, Paulo Zocchi, protocolou a notificação de aviso da greve junto ao RH. “Eles tem total legitimidade para entrar em Estado de Greve, pois o atraso de salário garante esse direito aos profissionais. O Sindicato está dando todo apoio jurídico e está à disposição para negociar com o jornal e resolver a situação desses trabalhadores que deram um exemplo de mobilização e luta por seus direitos”, observou.

O Diário de São Paulo tem até 48 horas para atender às reivindicações dos funcionários, caso contrário, os jornalistas devem continuar a greve. Uma nova assembleia deve ocorrer na próxima sexta-feira (22/7), às 12h. 

Leia também