Secretaria de Segurança diz que repórter do "JÁ" foi preso por agir como manifestante

Redação Portal IMPRENSA | 16/06/2016 16:30


Nesta quinta-feira (16/6), a Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP) divulgou uma nota para esclarecer a prisão de Matheus Chaparini, repórter do jornal , durante ação de desocupação da Secretaria da Fazenda na quarta (15/6).

Crédito:Reprodução/Jornal Já
Matheus Chaparini rebate versão da SSP sobre identificação no ato da prisão

De acordo com a Zero Hora, a SSP alega que Chapari foi detido porque "durante todo o tempo, ele estava dentro do prédio invadido, agindo como integrante do grupo militante que praticou a invasão".

A Secretaria alega que o repórter só teria se identificado como profissional de imprensa quando sua prisão já estava decretada e que optou por ficar em silêncio no momento do registro do flagrante na 3ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Porto Alegre.

"A prisão se deu em virtude do ato individual de invasão, do qual ele foi parte ativa, e não do exercício da atividade profissional de jornalista, cujas garantias são historicamente prestigiadas e asseguradas pelos órgãos de segurança do Rio Grande do Sul", garante a SSP, que ainda reforçou que outros profissionais de imprensa não foram incomodados durante a cobertura da desocupação.

Chaparini rebate e diz que informou à polícia que era jornalista e, mesmo assim, acabou detido com outros manifestantes. Ele foi levado para o Presídio Central e liberado somente na madrugada desta quinta (16/6).

Por fim, a SSP defende que tanto a Brigada Militar quanto a Polícia Civil cumpriram suas obrigações funcionais e que eventuais equívocos na prisão do jornalista serão apurados. 

Leia também
- Repórter do "JÁ" é preso durante cobertura de ocupação em secretaria no RS