Justiça rejeita pedido de indenização de Serra contra jornalista e editora

Redação Portal IMPRENSA | 14/04/2016 15:00
A Justiça de São Paulo negou o pedido de indenização por danos morais do senador José Serra (PSDB-SP) contra o jornalista Amaury Ribeiro Júnior, autor do livro "Privataria Tucana, e a Geração Editorial. Ainda cabe recurso. 

Crédito:Agência Senado/ Divulgação
Serra perdeu ação contra jornalista pelo livro "Privataria Tucana"

De acordo com o G1, o valor da indenização apenas seria definido caso a Justiça tivesse aceitado o pedido. O relator, desembargador Eduardo Sá Pinto Sandeville, destacou que o livro tem interesse público.  

"O uso de dinheiro público e funcionamento da máquina estatal, as questões relativas a corrupção e pagamento de propinas, em qualquer governo, certamente são de interesse público e sua discussão é necessária para formação de opinião pública esclarecida, indispensável em um ambiente democrático", observou.

Publicada em 2011, a obra faz uma análise e questiona a execução de políticas do governo relacionadas à privatização de empresas estatais na gestão do então presidente Fernando Henrique Cardoso. À época, Serra atuou como ministro do Planejamento e coordenou o programa de desestatização.

O defensor de Serra argumentou que o livro traz "inúmeras mentiras" ao mencionar o político no "recebimento de propinas nos processos de privatização de empresas públicas" e que "os alvos principais das acusações falsas e infundadas são o apelante e sua família". Também alegou que a obra ganhou grande repercussão, o que "potencializou o efeito negativo a sua imagem e honra".

Leia também